Sexta-Feira, 17 de agosto de 2018.

Um lugar na eternidade

O único que dividiu a história da humanidade e que os livros convencionaram descrever o feito como a.C e d.C.
Aquele que se vestiu de carne para se revestir da virtude que excede todo entendimento. Um rei que nem coroa tinha
e, muito menos, onde reclinar a cabeça. Alguém que não tinha paradeiro certo porque se consumia buscando quem quisesse segui-lo para onde primeiro estava.

Ele continua vivo e em busca de quem crê que também pode ser ressuscitado no último Dia.Estou falando de um Ser Divino que se fez humano para nos abrir a porta da eternidade através da Sua morte e ressurreição. Ele mesmo: Cristo Jesus, a razão pela qual o mundo ainda não se deteriorou.

Pois, como Ele prometeu: "e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mt 28.20). Ele está aqui em espírito "não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrependerse" (2 Pe 3.9).

Mas, como encontrá-lo em espírito aqui nesse mundo?

Através da manifestação dos filhos de Deus. Mas, como assim?

Não somos todos filhos de Deus? Não. Todos somos criaturas até recebermos o poder de sermos feitos filhos de Deus  Jo 1.12), através do novo nascimento.

Quando Jesus conversava com Nicodemos, Ele mencionou o novo nascimento: "(...) Na verdade, na verdade te digo que  quele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus" (João 3.5).

Nos tornamos filhos de Deus através do batismo nas águas, que é quando sepultamos a velha criatura (Cl 1.12) e, ao  mergirmos, somos revestidos do novo homem,que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade (Ef 4.24). Ou seja, nascemos espirituais e nos tornamos filhos de Deus. "Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne,
para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?"
(Hb 12.9).

É essa nova criatura (espiritual) que vai gerar em nós a compaixão pelas almas que - sem saber - vão chorando pelo mundo por não participarem da salvação. Almas que andam gemendo aguardando a manifestação dos filhos de Deus para serem libertas da escravidão do pecado. "Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus" (Rm 8.19). Foi por entender o propósito da vida eterna que  Paulo passou, de perseguidor do evangelho,  ara perseguido,  por essa mesma causa, ao ponto de declarar: "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu,mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim" (Gl 2.20).

Foi para manifestar os filhos de Deus ao mundo que surgiu a Igreja Videira Verdadeira (IVV), cujo nome do ministério é  ma alusão ao próprio Jesus que declara ser, Ele mesmo, a videira verdadeira e, nós, os ramos (Jo 15.1-5). Com sede  m Macapá (AP) e filiais na zona norte da capital amapaense; em Santana (AP) e em Santos (SP), a IVV acaba de completar 8 anos ramificando Cristo na vida do povo de Deus. Mais que uma igreja, somos uma família.

Somos ramos da Videira e estamos ligados em Jesus!

Categoria artigos, articulista

Maiara Pires

Jornalista




Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA DO ARTICULISTA