Quarta-Feira, 19 de setembro de 2018.

Feliz Dia dos Namorados

Todos nós falhamos saborosamente e temerariamente caminhamos indiscutivelmente a negligencias para com outrem ou contra nos mesmos... Quantas vezes já fizemos mais do que  devíamos e outras tantas omissões quando nada de nos demos e onde a necessidade era premente ou se fazia mister?


    É que as nossas existências fortuitas e incontáveis, todas elas veem de gerações diferentes. Atravessamos oceanos de tempo e profundidades celestiais para estarmos novamente em nós, assim como lembramos com detalhes de algum lugar em pais longínquo mesmo sem antes nunca haver lá estado? Como poderíamos explicar e o que eu poderia dizer a vocês ou a mim mesmo?


         D pessoas comuns que nunca vimos, ouvimos ou tocamos mais que a um simples olhar nas ruas envolto nas multidões, nos faz disparar uma corrente que percorre todo o nosso ser. Aquele olhar que nos acompanha a séculos e que nos foge quando mais queremos ver. Aquele cheiro que sentimos em nossos sonhos mais que se dissipa a cada despertar. Aquele aperto de mão que nunca tivemos aquele abraço e beijo que ão cansamos de esperar. Aquele choro nas madrugadas insones quando calados sofremos... O destino, tem os seus caprichos e a vida os seus próprios mistérios a espera de cada um para desvendar, são como nuvens azuis que paira sobre um mundo de beleza perfeita em vidas mens que perfeitas mais que desfilam no paraíso de grandes perdas e de amores que chagam-nos  tão perto quanto a luz mais que logo se despede como o crepúsculo ou como a chuva que parou de cair...


      Os fragmentos são anos quanto as vãs lembranças de um tempo tão curto que nos hospedamos nesse planeta lindo e maravilhoso de sonhos mas também de pesadelos e manifestações tenebrosas. Assim, dessa forma ou na variação mística que se aglutina às nossa experientes mentes  que em vão se perguntam:  o que somos, de onde viemos e para onde vamos quando e lamentações nos despedimos?


             Há uma certeza, uma afirmação ou mesmo uma variação de desejos mútuos que transcende anos, almas e vidas mais que reluta a cada novo amanhecer e sai sempre em busca do lenitivo, do abrasamento  do único e verdadeiro amor que não brotou mais eu, uma vez mais quero te agradecer e desejar a todas as almas gêmeas desse e do outro mundo, um feliz dia dos namorados com amor.

Categoria artigos, articulista

Airton Gondim Feitosa

Jornalista

tributaryagf@yahoo.com.br




Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA DO ARTICULISTA