Sead e Polícia Civil acompanham aplicação das provas do concurso para a Politec






O Governo do Estado acompanhou de perto neste domingo, 3, a aplicação das provas do concurso público da Polícia Técnico-Científica (Politec) para garantir a segurança do certame, que transcorreu com tranquilidade.

Segundo a coordenação do concurso, 235 candidatos vão disputar as 20 vagas para o cargo de perito médico legista, com salários de R$ 10 mil. Dos 304 inscritos, 69 não compareceram ao local de prova.

A secretária de Estado da Administração, Suelem Amoras, e o delegado de Polícia Civil, Nixon Kennedy, estiveram no único local de aplicação da prova objetiva, em Macapá. Nenhuma anormalidade durante as quatro horas de duração para resolução do caderno de questões e da redação foi registrada pela coordenação de aplicação do teste.

A secretária destacou que a Fundação Carlos Chagas (FCC) – empresa contratada para elaborar as aprovas e conduzir outras fases do concurso – redobrou o cuidado com os procedimentos que devem ser seguidos pelos fiscais. A rigorosidade focou principalmente no uso do celular, que passou a ser mais restrito.

De acordo com Suelem Amoras, os ficais foram proibidos de usar o celular dentro do local de prova. Quem levou o aparelho teve que entregá-lo à coordenação e só o recebeu de volta após a entrega do cartão-resposta e do caderno de questões.

“Além disso, a coordenação também reforçou os compromissos assumidos no termo assinados por eles, bem como das sanções previstas em caso de descumprimento. E nós estamos aqui acompanhando todos os procedimentos de perto”, enfatizou a secretária.

O delegado Kennedy disse que um grande esquema de segurança está preparado para a realização da prova objetiva do concurso da Polícia Civil, marcado para o próximo domingo, 10. Segundo ele, 40 agentes em serviço para garantir a segurança e lisura do certame, que terá 32 locais de prova.

Por: Elder de Abreu / Foto: André Rodrigues

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO