Mais de 1,3 mil candidatos faltam às provas do concurso para Oficial e Agente de Polícia






A tarde do domingo, 10, foi bastante agitada para os 19.082 candidatos que fizeram as provas do concurso público da Polícia Civil do Estado do Amapá para os cargos de oficial e agente de polícia. De acordo com a Fundação Carlos Chagas (FCC), organizadora do certame, 1.307 candidatos não compareceram ao local de prova, totalizando 6,41% de faltosos.

O concurso oferta 120 vagas para o cargo de agente de polícia, 60 para oficial e mais 755 para cadastro-reserva. Os portões foram fechados exatamente às 14h, e algumas pessoas chegaram atrasadas.  “Eu tentei chegar antes, mas infelizmente não me atentei ao horário e perdi essa oportunidade devido a um descuido”, relatou a publicitária Mayra Souza, 29, que chegou segundos após o fechamento dos portões.

Um dos candidatos, o psicólogo Sérgio Paixão, 30, afirma que está estudando há mais de um ano para vários concursos e tem uma boa expectativa para essa prova. “Este é o concurso que melhor me preparei, mas sei que a concorrência será muito grande e temos vários candidatos como excelente nível”, destacou o candidato natural do Estado do Rio de Janeiro.

A secretária de Estado da Administração, Suelem Amoras, afirmou estar satisfeita com o empenho da equipe da banca organizadora e mais ainda com o reforço das polícias Civil e Militar para assegurar tranquilidade aos candidatos e dar mais lisura na aplicação da prova. “Sabemos do esforço feito pela organização do concurso em manter o certame limpo e o Estado também entrou para auxiliar na prevenção de atos ilícitos, que poderiam viciar o concurso”, ressaltou. 

Equipes das polícias Civil e Militar atuaram no concurso com mais de 40 policiais distribuídos nos locais de prova. “É uma grande responsabilidade trabalhar para manter o concurso sem problemas nesse quesito, pois sabemos que sempre existem pessoas com má intenção e tentando tirar proveito de situações erradas, por isso, todo cuidado é necessário”, explicou o delegado Nixon Kennedy. 

Oportunidades

Com a realização do concurso, um dos seguimentos que teve bons resultados foi a rede hoteleira da cidade de Macapá. O gerente de um hotel, localizado no centro da cidade, Josias Farias, ressaltou que todas as 184 vagas disponíveis foram ocupadas logo após a publicação do edital.

“Quando o edital saiu, no mesmo dia recebemos ligações de pessoas de diversos Estados e nossas vagas foram preenchidas em questão de horas, após a confirmação da prova. Para nós, economicamente, isso foi bastante lucrativo”, disse.

Os profissionais e empresas de transporte também tiveram bons ganhos. O taxista Pedro Rubens Maciel, 58, relatou que houve um aumento na demanda de passageiros em cerca de 60%. “Desde terça-feira, ocorreu um aumento significativo de pessoas em nossa cidade, chegando tanto pelo aeroporto quanto no Porto de Santana e isso foi algo proveitoso, pois tivemos um aumento de mais de 70% em nossa renda”, afirmou.

Dados da FCC apontam que para as provas de delegado, agente e oficial de polícia, 3.499 candidatos se declaram de fora do Estado. O maior número de candidatos de fora do Amapá vêm do Estado do Pará, somando cerca de 1.400 pessoas. Oriundos do Amapá somaram mais de 21 mil inscritos, algo em torno de 85,79% dos candidatos.      

Por: Weverton Façanha / Foto: Marcelo Loureiro

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO