População "ocupa" a Fortaleza de São José para celebrar 237 anos do monumento

Compartilhe:





Há 237 anos foi construída a Fortaleza de São José de Macapá, eleita uma das sete maravilhas do Brasil, em 2008, um ano depois de ser elevada à categoria de museu. O Governo do Amapá celebra anualmente a data, com programações buscando incentivar nos amapaenses, a preservação e valorização do monumento, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1950.

O aniversário da fortificação é celebrado em 19 de março, feriado estadual pela comemoração do Dia de São José, padroeiro do Amapá, de Macapá e dos artesãos. Durante toda esta terça-feira, autoridades, artistas, músicos e o público em geral, prestam homenagens e participam da programação organizada pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

 

Localizada em uma área extensa de quase 30 mil metros quadrados à margem esquerda da foz do Rio Amazonas, na capital, a fortificação é uma das principais edificações militares já erguidas pelos portugueses para proteger a região das invasões estrangeiras. Mas, nunca chegou a ser usada em nenhum combate. O único confronto sediado no monumento foi a batalha  “Red Bull BC One”, uma das maiores disputas mundiais de hip-hop “homem a homem”, ocorrida em 2017, com apoio do Governo do Amapá, para fortalecer o movimento no Estado.

Memória cultural

A maior consequência de sua construção foi a criação e desenvolvimento da Vila de São José de Macapá, que deu origem à capital amapaense. Atualmente, ela está entre as 18 fortificações brasileiras que irão se candidatar ao título de Patrimônio Mundial, concurso promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Cerca de 70 mil pessoas visitam o lugar, por ano.

“Esse patrimônio é um dos mais importantes do Brasil e estamos trabalhando para que, brevemente, seja reconhecido pelo mundo. E ficaremos, a partir de então, no centro do debate turístico mundial. Isso é muito bom para o Amapá, pois fará com que a fortificação e o seu entorno se transformem economicamente, socialmente e, culturalmente e, tragam resultados significativos ao nosso povo”, ressaltou o secretário de Estado da Cultura, Evandro Milhomen.

O secretário falou também de outros projetos que serão desenvolvidos nesta gestão que enaltecem a cultura do Amapá e, que abrangem os mais diversos segmentos como música, teatro, dança, literatura, cinema e a reabertura do Museu Joaquim Caetano, que abriga a reserva técnica da história do Amapá, desde quando era território.

“Vamos construir um circuito de museus, como o Museu de Etnologia e Arqueologia que conta a história dos povos indígenas e negros. Estamos trabalhando para a reativação da Escola de Artes Populares, no sambódromo, a reinstalação do Museu da Imagem e do Som, além da implantação definitiva de ações culturais transversais com a educação”, adiantou o secretário de Cultura.

Aniversário

 

Como tradição, os combatentes da antiga Guarda Territorial - instituição responsável pela segurança do monumento na época do ex-Território -, ficam ‘alinhados’ e a postos para receber os visitantes que também podem conferir a exposição “Memorial da Guarda Territorial”, com diversas fotos antigas dos membros em ação. Ela ficará aberta durante toda a semana, assim como a exposição “Macapá Através dos Tempos”, com fotos antigas da cidade.

Quem visitou o Museu Fortaleza no período da manhã, conferiu o corte do bolo de aniversário e apresentações artísticas dos cantores da terra, como Osmar júnior e Amadeu Cavalcante. Também teve recital de poesia com a estudante Raíssa de Andrade, 10 anos, emocionando o público ao detalhar a história da construção da Fortaleza. Ela é aluna da Escola Estadual Serafini Costaperaria, localizada na zona norte de Macapá, onde nasceu o projeto “Contando e poetizando”.

 

A idealizadora do projeto, Meire Almeida, professora do 1° ao 4ª ano, foi quem incentivou Raíssa e outros 45 estudantes a expressarem seu amor pelo Amapá, através da literatura. “Para fixação melhor dos conhecimentos, a exemplo, da história do Amapá, transformamos os assuntos em paródia e poesia e criamos juntos, aluno e professor. Por meio dessa iniciativa simplificamos a aprendizagem, despertamos a oralidade e colocamos o aluno como protagonista da educação”, justifica a professora que sonha em ver o projeto sendo difundido em toda a rede de ensino.

Eduardo Azevedo, que mora na cidade de Porto Alegre (RS), está em Macapá a trabalho e, coincidentemente, veio visitar a Fortaleza pela primeira vez e diz ter ficado encantado.

 

“Achei tão fascinante que fiz até uma videochamada para mostrar para minha esposa e minhas filhas. Elas acharam muito lindo e já querem vir aqui comigo em uma próxima viagem para conhecer”, conta Eduardo que trabalha com treinamento de telefonia.

O Núcleo de Produção Digital Equinócio (NPD) levou “o cinema” para dentro da Fortaleza de São José de Macapá, como forma de agregar ainda mais valor, à programação de aniversário. Estão sendo exibidos curtas-metragens e filmes em homenagem à fortificação, até 24 de março. As produções podem ser acompanhadas pelos visitantes durante toda esta semana e, também, pelo canal do NPD lançado nesta terça-feira, 19, no YouTube.

 

“Os artistas locais se reuniram para fazer essa justa homenagem a esse local que foi e, é palco, para grandes produções e serve de inspiração para artistas dos mais diversos segmentos”, frisou a coordenadora do NPD Equinócio, Ana Vidigal.

A programação desse feriado, continua a partir das 15h no anfiteatro, com aulão de dança nos ritmos zumba; axé; dance e atividades lúdicas, esportivas e de lazer para as crianças. Quem for ao monumento também poderá participar de visitas monitoradas. As comemorações começaram no domingo, 17, com a recepção da imagem de São José no Museu Fortaleza de São José de Macapá.

Revitalização

Em 2017 o Estado deu início a obras de melhorias na Fortaleza de São José e entorno, preservando a estrutura do patrimônio que foi completamente iluminado, no seu interior e arredores.

 

Foram revitalizados e reformados os caramanchões; a grama da Fortaleza e do Parque do Forte foi refeita, assim como, o estacionamento e o passeio público. Os banheiros da área sul foram revitalizados e reativados. A estrutura de madeira de acesso à Fortaleza foi trocada e as casamatas, onde havia infiltrações, também foram restauradas.

Em um ano e meio foram investidos R$ 4,5 milhões em revitalização, reforma, restauração e iluminação da Fortaleza de São José de Macapá.

 

Por: Nathacha Dantas /  Foto: Maksuel Martins / Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO