Procon fiscaliza produtos de Páscoa em estabelecimentos de Macapá e Santana

Compartilhe:





Fiscais de consumo do Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon/AP) devem visitar até sexta-feira, 12, vários estabelecimentos comerciais de Macapá e Santana que comercializam chocolate e ovos de páscoa. Trata-se de uma fiscalização repressiva, uma vez que no ano passado, 10 estabelecimentos comerciais foram orientados quantos às normas a serem adotados para a comercialização desses produtos.

“Estes estabelecimentos receberam algumas informações sobre as normas de defesa do consumidor em relação à qualidade dos produtos, precificação e armazenamento. Agora, estamos retornando para verificar se eles seguiram as nossas orientações e, se não seguiram, eles serão autuados”, adverte chefe do Núcleo de Fiscalização do Procon/AP, Lana Silva.

Lana acrescentou que, paralelamente ao trabalho, está sendo feita uma pesquisa de preços para um comparativo que será repassado à população. A irregularidade mais comum encontrada pelos fiscais até o momento é a ausência de preços nos produtos.

“Como há uma grande diversidade de produtos, às vezes, o fornecedor deixa de colocar informações básicas como essa. E os preços precisam estar expostos de forma clara e precisa para que o consumidor compare e decida o que comprar”, avisa Lana Silva.

A chefe do Núcleo de Fiscalização também recomenda que caso o consumidor se depare com a falta de preço no produto, ele denuncie ao instituto pelo telefone 151; pelas redes sociais do Procon/AP, ou formalize a denúncia diretamente no órgão, localizado na Avenida Padre Júlio Maria Lombard, no bairro Santa Rita, em Macapá. “Importante ficar atento aos chocolates que vem acompanhados de brindes que são colocados para atrair as crianças, público que mais costuma consumir esses produtos nesse período”, ressalta.

O Instituto de Defesa do Consumidor também está orientando pessoas que trabalham com a fabricação de chocolates artesanais e, que fornecem para estabelecimentos comercias. É que esses produtos, segundo o Procon/AP, precisam ter todas as informações de data de fabricação, validade, produtos utilizados na fabricação e peso, expostos na embalagem.

 

Por: Ailton Leite /  Foto: Maksuel Martins/Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO