APAE no Amapá paralisa atividades por falta pagamento dos salários

Compartilhe:





Cerca de 1,5 mil alunos especiais ficam prejudicados nas unidades de Macapá, Santana, Laranjal do Jari e Vitória do Jari.

Colaboradores da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) das unidades do Amapá, paralisaram as atividades desde terça-feira, 13, em busca de recebimento dos salários do mês de dezembro que encontra-se em atraso. As sedes de Macapá, Santana, Laranjal do Jari e Vitória do Jari estão paralisadas até que seja sanado o problema de pagamento.

Todos os serviços foram paralisados: psicologia, assistência social, fonoaudiologia, odontologia, fisioterapia, otorrino, educação física, natação, terapia ocupacional, psiquiatra, psicopedagogia, além da escolarização, afetando em média 1,5 mil alunos que fazem esses tratamentos.

“Só na sede de Macapá são cerca de 645 excepcionais atendidos, ou seja, 645 famílias que precisam todos os dias desses serviços. São atendimentos continuados que não podem parar. Pedimos ao secretário da Fazenda que se sensibilize com esses funcionários. Alguns já não podem nem ir para o trabalho, por falta de dinheiro para pagar o transporte, luz cortada, comércio não vendendo mais, quer dizer, são vários os problemas que esses colaboradores vem enfrentando por conta dessa situação”, disse o presidente da APAE Macapá, Abel Mendes.

Abel também informou que a Secretária de Estado da Educação – SEED já fez a Programação de Desembolso (PD) para pagamento de dezembro, no mês de maio, e já foi publicado no Diário Oficial e encaminhado para a Sefaz que até o momento não realizou o repasse.

De acordo com a Sefaz, o pagamento será feito ainda nesta quarta-feira, 14. Disse ainda que o atraso se deu por atraso de prestação de contas da Apae.

“O atraso ocorreu devido a um problema eletrônico na transmissão de dados no sistema da instituição financeira que faz os pagamentos”, informou a Sefaz, por meio de nota.

Segundo o presidente Abel, a parcela devida é de R$ 520 mil referente ao termo de fomento firmado pelo governo do estado para pagamento da folha da instituição e outras despesas.

Nesta quarta-feira, 14, para reforçar o movimento, colaboradores da APAE fizeram uma manifestação com cartazes e faixas na sede da capital, Macapá. O presidente ainda informou que o mês de julho também está em atraso e que a paralisaram só deve parar assim que for pago o mês de dezembro.

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO