Sudam aprova financiamento de energia solar para pessoas físicas






Proposto pelo governador Waldez Góes durante o 14º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, o financiamento para a aquisição de sistemas fotovoltaicos residenciais foi autorizado pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). A aprovação ocorreu durante reunião do Conselho Deliberativo do órgão, na última sexta-feira, 1.

A partir de 2018, uma linha de crédito para a compra de componentes para instalação de micro ou mini geradores de energia renovável em residências estará disponível pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) – que é gerenciado pelo Banco da Amazônia (Basa).

O financiamento é para pessoas físicas de toda a Amazônia Legal e vai desde a projetos, elaboração até a instalação do dispositivo. O FNO vai disponibilizar R$ 120 milhões para estas operações de crédito, que terá taxas de juros mais baixas, maior prazo para pagamento e bônus de adimplência.

No Amapá, o foco é a energia solar fotovoltaica, que converte a luz do sol em eletricidade. O Estado aderiu, em maio deste ano, ao Sistema de Compensação de Energia Elétrica, gerenciado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo a agência reguladora, a tecnologia fotovoltaica possibilita a redução do consumo de energia elétrica convencional e, consequentemente, redução no valor cobrado na fatura mensal – proporcional à quantidade de energia gerada.

Idealizador da proposta, o governador Waldez ressalta que, no caso do Amapá, além da diminuição na conta de energia, os consumidores amapaenses ainda terão desconto no Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre a fatura. O tributo será diferenciado para quem aderir ao Sistema de Compensação de Energia Elétrica.

Góes ressalta que o financiamento pode iluminar comunidades isoladas e longínquas, como localidades indígenas, ribeirinhas e assentamentos, onde o custo para levar energia elétrica através de linhas de transmissão de alta tensão é bem mais alto.

“Nos baseamos numa linha de crédito similar do FNE [Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste], cujo foco é a energia eólica, conforme as características naturais do Nordeste. E para a Amazônia o ideal é a energia fotovoltaica, pois durante boa parte do ano os raios solares são intensos na região. Portanto, estamos incentivando o uso desta energia renovável, que além de racional, é bom para o bolso do consumidor, para o meio ambiente e vai impulsionar o mercado de geração distribuída no Norte”, avaliou o governador amapaense.

Energia solar

O uso de placas fotovoltaicas pode gerar economia de até 95% na conta de luz do consumidor. Hoje, o número de sistemas geradores instalados em residências, comércios e indústrias já chega a 16.311 unidades capazes de gerar 182 MW – o equivalente a uma hidrelétrica de médio porte, segundo a Aneel.

Por: Elder de Abreu /  Foto: Irineu Ribeiro

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO