Protagonismo estudantil é destaque em apresentações durante live sobre a Semana da Pátria

Compartilhe:





A Secretaria de Estado da Educação (Seed) realizou, na manhã deste domingo, 13, a transmissão do evento virtual em alusão à Semana da Pátria. A ação, que aconteceu do auditório do Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima, contou com a participação de escolas, professores, alunos e servidores da própria Seed que puderam apresentar músicas, poesias e mensagens.

Na abertura, um vídeo da Escola Estadual de Tempo Integral Maria Carmelita do Carmo foi apresentado seguido do hino do Nacional e do Amapá tocado pela banda de música do CEPM Walkíria Lima. O espaço onde aconteceu a transmissão foi preparado para as apresentações, seguindo protocolos de saúde e prevenção à Covid-19.

De acordo com o coordenador de Educação Básica e Educação Profissional da Seed, Ryan Muller, o objetivo do evento on-line foi fortalecer o protagonismo de todos os agentes que fazem parte da educação no Amapá.

“Estou falando de uma educação que faz sentido ao aluno e que o inclua com agente ativo, como centro de todo esse processo de ensino aprendizagem e não ser apenas um receptor. Portanto, foi uma atividade voltada com eixo de fato na vida do aluno. De como ele se comportou nessa pandemia e de como se reinventou”, explicou Muller.

Para a diretora da Escola Estadual José de Alencar, professora Maria de Nazaré, trabalhar o patriotismo atrelado a inclusão é um passo importante na formação do cidadão.

“É muito importante essa ação para a comunidade escolar porque busca tratar do patriotismo e de como está sendo desenvolvido o trabalho de inclusão nas escolas. Essa missão nos foi dada e realizamos com muito carinho, porque trabalhamos, de forma remota, a inserção dos estudantes nos projetos pedagógicos, especialmente os do ensino especial, como foi mostrado”, disse Maria de Nazaré.

Com uma apresentação que retratou a violência doméstica, a estudante do 3º ano do ensino médio da Escola Estadual Mário Quirino, Sâmara Souza, de 20 anos, fala que para esse crime não há justificativas.

“Violência contra a mulher não se justifica. Há sempre uma oportunidade de a mulher viver novamente longe daquela pessoa que lhe fez mal. Precisamos falar sobre e defender a mulher. Essa foi uma ótima oportunidade”, comentou a jovem.

Aluno do 7º ano da Escola Estadual Maria de Nazaré Pereira Vasconcelos, Michael Douglas Rodrigues, de 12 anos, recitou o poema “O Boto”, da autora Annie de Carvalho. Michael conta que é um momento muito especial e que se dedicou muito a leitura do poema.

“Eu já levo a recitação na prática há algum tempo, porque a professora pede que a gente faça isso. E estou muito contente, pois gosto de participar desses eventos virtuais”, contou feliz, Michael Douglas.

A banda de música do Centro Walkíria Lima voltou a se apresentar quando o bloco abordava a temática sobre música. Eles foram seguidos pelo som das bandas de fanfarras das escolas estaduais no município de Oiapoque que encerram a programação.

“Conseguimos integrar todo mundo, mesmo que virtualmente, no sentido de resgatar o ser cidadão nesse período de pátria“, finalizou Ryan Muller, coordenador de Educação Básica e Educação Profissional da Seed.

 

Por: Valdeí Balieiro /  Fotos: Erich Macias/Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO