Feirão Natalino gera mais de R$ 45 mil em vendas de artesanato e alimentos






Os artesãos, empreendedores populares e gastronômicos, grupos econômicos solidários e de manualidades comemoram as boas vendas nos três dias do Feirão Natalino, que ocorreu de 21 a 23 de dezembro, em frente à Casa do Artesão, Centro de Macapá. Entre alimentos e artesanato, foram comercializados R$ 45.561,00 em produtos. Os dados são de uma pesquisa de comercialização realizada pela Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete). O evento fez parte do projeto Celebra Amapá, de iniciativa do governo com programações que colocam a população no clima das festividades de fim de ano.

Aplicada pelos servidores da Sete nos três dias do Feirão Natalino, a pesquisa de comercialização apontou que o setor de gastronomia foi o que mais faturou. A venda de pratos e lanches regionais, no espaço da Praça de Alimentação, rendeu R$ 22.080,00.

O artesanato em madeira, cerâmica, fibras vegetais e produtos manuais e industrializados geraram R$ 11.700,00 para os integrantes da Associação de Artesãos e Empreendedores Individuais da Beira-Rio (Amicro Beira-Rio).

Os empreendedores do comércio ambulante de bebidas em geral conseguiram faturar R$ 8.350,00. Já os trabalhadores manuais conseguiram vender R$ 1.469,00 em produtos. Para os empreendedores do ramo de diversão (pula-pula e cama elástica) o faturamento foi de R$ 820,00.

Os artesãos que trabalham com a venda de madeira, cerâmica, fibras vegetais e sementes conseguiram faturar R$ 762,00. O grupo econômico solidário apresentou na pesquisa uma venda de R$ 380,00.

O casal Leide do Carmo e Antônio do Carmo visitou o Feirão Natalino para comprar vasos, castiçal e miniaturas de animais. “Ouvimos pela televisão e pelo rádio sobre o evento e decidimos prestigiar. Ficamos encantados com a diversidade de peças para comercialização. Nosso lar vai ganhar uma decoração a mais neste fim de ano”, comentou a aposentada Leide do Carmo.

A publicitária Joicilene Santos ficou surpresa com a qualidade, criatividade e acabamento das peças da Casa do Artesão. Em visita com a família ao feirão, ela prometeu indicar as peças artesanais a clientes de sua agência. “Tem muita coisa bacana e com preços bem em conta e que podem ser utilizadas na decoração de ambientes de escritórios e outros empreendimentos. Vou indicar para meus clientes’, afirmou.

O Feirão Natalino contou com 55 participantes e uma estrutura de 50 barracas, 3 tendas, além de palco para apresentações, som mecânico e desfile de acessórios e peças artesanais confeccionadas por artesãos do Amapá.

A Casa do Artesão funcionou durante o evento e isto ajudou a atrair um bom público. O espaço foi reaberto pelo governo do Estado no dia 7 de dezembro, depois de passar por uma reforma geral. 

“A pesquisa de comercialização revelou o que já imaginávamos, que foi o sucesso do feirão. Foram três dias em que os empreendedores e artesãos puderam comercializar seus produtos e faturar um dinheiro a mais no período de fim de ano”, finalizou a secretária de Estado do Trabalho e Empreendedorismo, Maraína Martins.

Por: João Clésio / 

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO