Estudantes fazem apresentações artísticas no encerramento do Fetran






Estudantes da rede estadual e municipal de ensino lotaram o Teatro das Bacabeiras com apresentações artísticas sobre conscientização e respeito no trânsito na tarde desta segunda-feira, 4. O evento marca o encerramento das atividades do Festival Estudantil Temático de Trânsito (Fetran), realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em parceria com Governo do Amapá, Prefeituras de Macapá, Porto Grande, Ferreira Gomes, Tartarugalzinho e Oiapoque.

Ao todo, 20 escolas do Amapá foram selecionadas para participar do projeto que visa educar e sensibilizar o cidadão quanto às questões relacionadas ao trânsito. São realizadas palestras sobre a importância do respeito às leis para evitar acidentes, além do estímulo à produção de trabalhos direcionados à temática “trânsito”, que envolvem teatro, maquetes, poesias, danças, criação de músicas, entre outros.

De acordo com o inspetor Aldo Baleiro, da Polícia Rodoviária Federal, somente as fiscalizações não mudam o comportamento dos condutores imprudentes. O trabalho pedagógico é essencial para auxiliar na formação dos pedestres, ciclistas, passageiros e futuros motoristas, para um trânsito mais seguro.

“Dificilmente um adulto vai mudar seu comportamento. Entretanto, as crianças, quando aprendem a forma correta no trânsito nas escolas, levam isso para casa e cobram mudanças de comportamento de seus pais. Os alunos acabam sendo uma extensão da PRF”, comenta Balieiro.

Em 2017, o Fetran envolveu mais de 10 mil alunos e 600 professores no Amapá. As escolas estaduais Modelo Guanabara, Santina Rioli, Brasil Novo e Antônio Figueiredo, localizada no Torrão do Matapi, participaram desta edição. Para a secretária de Políticas da Educação da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Dina Melo, o trabalho do Fetran nas escolas reforça as ações para que haja paz no trânsito.

“Demos ter uma convivência no trânsito mais pacífica. É necessário conscientizar que devemos ter respeito pelo próximo, respeito pela vida. E isso é ensinado nas escolas. Todos somos responsáveis por um trânsito mais seguro”, frisa Dina Melo.

O estudante Pedro Barbosa da Silva, 7 anos, 2º ano da Escola Profº Antônio Figueiredo, comenta que são atitudes pequenas que podem mudar realidades. Não ultrapassar o sinal vermelho e atravessar rua na faixa de pedestre são exemplos que todos devem praticar. “Muitos acidentes acontecem porque as pessoas não respeitam as leis de trânsito. Quem avança o sinal vermelho, pode até matar alguém. Quando eu vejo algo errado, chamo atenção”, diz o garoto.

Por: Caroline Mesquita / Foto: Erich Macias

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO