Festival Paralímpico promove integração de crianças e adolescentes no Amapá

Compartilhe:





A integração de crianças e adolescentes através do esporte foi o principal objetivo da quarta edição do Festival Paralímpico realizado pelo Governo do Estado do Amapá. O evento ocorreu neste sábado, 11, e reuniu cerca de 100 atletas no ginásio Avertino Ramos e no Centro Didático Rosa Ataíde, em Macapá.

Os paratletas foram divididos em cinco modalidades: atletismo, natação, badminton, bocha e tênis de mesa, no masculino e feminino.

 

De acordo com o coordenador Técnico Paralímpico da Secretaria de Estado do Desporto e Lazer (Sedel), Herbert do Rosário Barbosa, o festival foi uma oportunidade para que as pessoas com deficiência física pudessem experimentar a prática de diferentes modalidades esportivas.

“O Festival Paralímpico serve para incluir essas pessoas, e dar a oportunidade para que elas conheçam modalidades esportivas que possam ser praticadas por elas, mesmo com as limitações decorrentes da deficiência”, explicou Barbosa.

O Festival também serviu de seletiva para identificar novos talentos para participar da fase nacional das Paralímpiadas Escolares 2019, que acontecerá em São Paulo, no mês de novembro.

A coordenadora do Festival, Marry Borralho, explicou que, em caso de aptidão para o esporte, esses novos talentos receberão a indicação para continuar treinando e representando o Estado na modalidade.

“Se essa criança gostou da modalidade e mostrou ter aptidão para competir, nós vamos orientar a família para que ela frequente os treinos, explicar os benefícios e também vamos inscrevê-la para participar da fase nacional das Paralímpiadas Escolares 2019”, ressaltou Marry.

Um desses jovens talentos é o estudante Isaías Vales, 13 anos, que pratica tênis de mesa há cerca de 3 anos. De acordo com a mãe do paratleta, Ziane Vales, o esporte tem contribuído na evolução motora e social do filho. “Desde que ele começou a praticar o esporte, ele tem evoluído na questão física e na relação com as pessoas, esses festivais servem exatamente para que eles se sintam incluídos", frisou.

 

Por: Gabriel Dias /  Foto: José Baía / Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO