Em Brasília, Waldez volta a defender pacto federativo para ajudar os Estados






O governador do Amapá, Waldez Góes, e o vice-governador eleito Jaime Nunes participaram nesta quarta-feira, 14, do Fórum de Governadores em Brasília. O evento, organizado pelos futuros governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e de São Paulo, João Doria, ocorreu no Centro Internacional de Convenções de Brasília (CICB).

O encontro contou com a presença do presidente eleito Jair Bolsonaro, e dos futuros ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Durante o evento, Waldez reconheceu a importância do Fórum dos Governadores em nível nacional, mas defendeu a manutenção dos encontros regionais, de onde, segundo Góes, é possível discutir as particularidades de cada região, obedecendo suas potencialidades e diferenças culturais e econômicas.

A dificuldade financeira das Unidades Federativas foi um dos principais pontos debatidos entre os governadores. A saída para retirar os Estados da crise e diminuir o endividamento seria rediscutir a partilha dos recursos que vem da arrecadação de impostos.

“Hoje, muitas contribuições que a União impõe aos brasileiros fica concentrada nas mãos do governo federal, e não dos Estados e municípios, que é onde as pessoas vivem e onde há necessidade de realizar as políticas públicas. Por isso, precisamos rediscutir esse sistema de partilha”, considerou Góes.

O governador do Amapá também defendeu medidas urgentes e céleres para garantir o desenvolvimento econômico e social. “Há uma necessidade de desburocratizar, de fazer investimentos, destravar obras e reduzir o tempo de licenciamento e liberação de obras e projetos. Devemos respeitar o meio ambiente, mas precisamos ter mais celeridade nos procedimentos”, ponderou.

Em seu primeiro encontro com os governadores eleitos e reeleitos em outubro, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que “algumas medidas são um pouco amargas, mas nós não podemos tangenciar com a possibilidade de nos transformarmos naquilo que a Grécia passou, por exemplo", afirmou Bolsonaro.

O chefe do Executivo amapaense também falou sobre a união para recolocar o Brasil no caminho do crescimento. “Saímos do encontro com o alinhamento de que o país todo deve se unir em pontos de convergência, para que possamos dar um novo momento para a economia do país”, finalizou Góes.

Jair Bolsonaro propôs aos governadores um pacto a favor do Brasil, no esforço de buscar soluções para os problemas e contribuir na administração das dificuldades, e disse que isso será negociado “independente de partido”.

Todos os pontos discutidos durante o Fórum de Governadores farão parte de um documento que será enviado ao governo federal. Bolsonaro afirmou que vai analisar com sua equipe cada item exposto no documento.

 

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO