Os melhores cursos de Engenharia Civil por ensino, docência e mercado de trabalho






Ranking elenca as melhores faculdades e universidades do país

Começar o ensino superior não é algo tão simples quanto se pode imaginar: é preciso ter certeza do curso e também escolher com cuidado a Instituição de Ensino Superior (IES) onde o estudante passará boa parte dos próximos quatro a seis anos. Quem já tem certeza que deseja cursar Engenharia Civil pode consultar o desempenho dos cursos no ranking universitário elaborado pela Folha de São Paulo.

As IEs são avaliadas segundo a qualidade do ensino, avaliação do mercado, Exame Nacional de Desempenho dos Estudante (Enade), doutorados e mestrados, professores com dedicação integral e parcial além da avaliação dos docentes.

A última edição, publicada em 2018, lista os melhores cursos de engenharia civil ofertados pelas seguintes instituições: Universidade de São Paulo (USP, 1º), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 2º), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, 3º), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 4º), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 5º), Universidade Federal do Paraná (UFPR, 6ª), Universidade de Brasília (UNB, 7º), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE, 8º), Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR, 9º), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP, 10º).

 

Estudantes de Engenharia Civil

Segundo o Censo da Educação Superior 2017, 95.678 pessoas se tornaram estudantes de Engenharia Civil em 2017. O número equivale a 2,9% do total de ingressantes (3,2 milhões) na graduação no respectivo ano. A rede pública de ensino recebeu 67,7% dos alunos e a rede privada, 33,3%. No entanto, das 10.779.086 vagas ofertadas no ensino superior, 9.955.243 foram disponibilizadas pela rede privada de ensino.

Em relação à organização acadêmica e categoria administrativa das Instituições de Ensino Superior (IES), das 2.448 existentes, as faculdades privadas são predominantes e respondem por 2020 IES: são 142 públicas e 1.878 privadas. Os Centros Universitários somam 189 instituições; os Institutos federais (IFs) respondem por 40 IES; e, as universidades, por apenas 199 entre públicas (106) e privadas (93).

A rotina intensa, segmentada entre o trabalho e a faculdade, motivou Vitor Arruda a ingressar em uma faculdade particular. “Para mim, essa foi a melhor opção porque consigo ter um tempo livre mas também bastante contato com os meus professores e colegas de turma”, destacou o estudante de 18 anos, graduando em Engenharia.

Apesar de já ter uma renda assegurada pelo trabalho, Vitor optou por contratar uma bolsa de estudo para baratear o custo da graduação e organizar melhor o orçamento. Programas educacionais, como o Educa Mais Brasil, ofertam bolsas de até 70% de desconto. Todas as regiões do país possuem oportunidades.

 

Agência Educa Mais Brasil

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO