Cândido Portinari apresenta trabalhos desenvolvidos por estudantes em Mostra de Artes

Compartilhe:





Começa nesta quarta-feira, 12, a partir das 17h, a Mostra de Artes do Centro de Educação Profissional em Artes Visuais Cândido Portinari. O evento será realizado em dois dias e busca apresentar os trabalhos desenvolvidos no último semestre pelos estudantes da instituição. A entrada é gratuita e o evento será realizado no prédio do Cândido Portinari, localizado na Avenida Cônego Domingo Maltês, nº 1.976, bairro Buritizal, em Macapá.

A programação conta com a exposição de produtos de artes visuais, oficinas, poesias, palestra, música e várias atrações artísticas. As obras em exposição são resultado das modalidades de ensino dos cursos ofertados pelo centro: Técnico em Artes Visuais, Serigrafia, Ilustrador, Artesão de Pintura em Tecidos e Pintor em Obras Imobiliárias, Teatro, Comunicação Visual, Artesanato e Design de Móveis.

Mostra de Artes

O Cândido Portinari oferece, há mais de 40 anos, ensino de artes gratuito à população amapaense e tem papel fundamental na difusão da cultura regional. Tradicionalmente, o centro faz mostra culturais para divulgar o trabalho de seus estudantes.

Nesta edição, a Mostra de Artes Cândido Portinari conta com uma intensa programação. Além de mais 100 obras artísticas produzidas pelos estudantes, o evento artístico-cultural traz como atividade de formação as oficinas de mangá, cartonageiro e pintura com técnicas úmidas, bem como mesa-redonda com o tema: “Artes Visuais no contexto da Economia Criativa”.

A programação cultural propõe uma diversidade de artistas locais como Jean Carmo, Poetas Azuis, Ágda Xavier, Pena e Pergaminho, Ozy Rodrigues, Jackson Amaral, Ari Pires e Rodrigo Teran e Anna Clara.

Artista homenageado

A cada edição, a mostra homenageia um artista amapaense. Já estiveram nessa lista o pintor João de Deus, o escultor e ceramista Trokkal e o artista plástico Grimualdo Barbosa. Agora é a vez do pintor Ivam Amanajás.

 

Ivam nasceu na década de 50, na capital amapaense. Ele começou suas atividades de forma autodidata, aos 13 anos de idade, momento que teve a oportunidade de participar de uma exposição no extinto Ginásio de Macapá, junto com artistas prestigiados na região. Hoje, aos 62 anos, continua produzindo, diariamente, trabalhos de diversos estilos como abstracionismo, realismo fantástico e paisagismo amazônico.

Por: Caroline Mesquita

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO