Ensino Superior: lista de espera Prouni 2019 ou Educa Mais Brasil?






Analise o que cada programa tem a oferecer e escolha o que melhor se encaixa no seu perfil

Começou o ano e muitos estudantes ainda estão na expectativa de ingressar em um curso superior. Os que estão à procura de alternativas têm como opção a lista de espera do Prouni 2019 e o Educa Mais Brasil. O período da lista de espera Prouni 2019 acontece nos dias 07 e 08 de março, enquanto as inscrições para o programa Educa Mais Brasil permanecem abertas até 31 de março para início das aulas ainda no 1º semestre deste ano. Os dois programas ofertam bolsas de estudo para graduação a estudantes que não têm condições pagar o valor integral da mensalidade em faculdades particulares.

 

Os programas possuem diferenças. Veja aqui:

Educa Mais Brasil 2019.1

O programa de inclusão educacional de iniciativa privada já beneficiou mais de 900 mil estudantes. Há oportunidades em instituições particulares de todo país e os descontos chegam até 70% para cursos superiores na modalidade a distância e presencial. 

Para participar os interessados precisam não ter condições de arcar com uma mensalidade integral do curso e não ter vínculo com faculdade, pelo menos, nos seis meses anteriores. Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site parceiro do Educa Mais Brasil, www.educamaisbrasil.com.br/amapadigital, escolher a modalidade de interesse e fazer o cadastro informando os dados pessoais.

 

Prouni 2019

É um programa do Governo Federal. Os candidatos podem concorrer a bolsas integrais e parciais, de 100% ou 50% em um curso de graduação. Para participar é preciso atender às regras do Prouni.

Ter obtido a média mínima de 450 pontos e não ter zerado a redação do Enem 2018, além de ter estudado o ensino médio em escola da rede pública ou particular na condição de bolsista integral.

Podem se inscrever também estudantes com deficiência, professores da rede pública de ensino para cursos de licenciatura, normal superior e pedagogia. Outro critério é o limite de renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio para bolsa integral, e de até três salários mínimos por pessoa para bolsa parcial.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO