Após 20 anos, Amapá e Guiana Francesa retomam cooperação para ações culturais






Em pauta no segundo e último dia da XI Reunião da Comissão Mista de Cooperação Transfronteiriça (CMT), nesta quinta-feira, 4, foram evidenciadas as demandas culturais entre Amapá e Guiana Francesa. A delegação francesa propôs a criação de um comitê para acompanhar as ações culturais entre as duas regiões, sendo composto por representantes governamentais e sociedade civil organizada, com espaço para indígenas e reuniões semestrais.

“Observamos que as ações culturais atualmente são particulares e bem feitas, mas o Amapá e a Guiana Francesa não estão trabalhando juntos. Por isso, houve um distanciamento institucional em relação a esse assunto e, agora queremos mudar esse cenário, através deste comitê”, justificou o diretor do Instituto Francês do Brasil e conselheiro de Cooperação e Ação Cultural, Alain Boudon.

O comitê envolve, ainda, o fortalecimento estrutural para uma rede de museus entre as duas regiões. A Guiana Francesa tem o interesse em promover acervos brasileiros em seu território e evocar materiais de sua cultura no lado brasileiro, envolvendo o Museu Sacaca, em Macapá. “Temos uma rica e extensa linha de materiais culturais de antepassados e povos indígenas desta região e, por isso, necessitamos evidenciar esta parte cultural”, completou Alain Boudon.

A chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Clotilde David, foi quem representou o Amapá nas discussões sobre esta cooperação. Ela recordou que existia esse intercâmbio há 20 anos com a Guiana, mas foi desativado. “Com essa intenção dos representantes franceses em estabelecer essa relação, nos colocamos também à disposição e faremos todos os esforços para termos programações envolvendo a parte cultural entre Brasil e França”, assegurou.

As preposições dos franceses envolvem, também, estudos socioeconômicos nas regiões e intercâmbio entre apresentações multiculturais de artistas amapaenses e guianenses. Todas elas foram inseridas na ata da reunião da CMT.

Do lado brasileiro, as iniciativas do comitê ficarão sob a responsabilidade da Secult e o prazo para a formação geral e efetiva do grupo, será de responsabilidade das instituições culturais do Amapá e da Guiana Francesa.

Relação transfronteiriça

A fronteira do Amapá com a Guiana Francesa possui uma população estimada em 32 mil habitantes, sendo 26,6 mil pessoas só em Oiapoque, no extremo norte do Amapá, e aproximadamente 3 mil em Saint Georges, ambos divididos pelo Rio Oiapoque e, agora, interligados pela Ponte Binacional.

A Guiana Francesa é um departamento ultramarino da França com uma população total estimada em 296.711 e tem como principais atividades econômicas a agricultura, o turismo e a pesca. Para tratar das relações transfronteiriças, foi criada a CMT como parte do Acordo de Cooperação Mista, assinado em maio de 1996 e ratificado com o Plano de Ação da Parceria Estratégica, registrado e divulgado em fevereiro de 2008.

 

Por: Weverton Façanha /  Foto: Marcelo Loureiro/Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO