Operação Sindicus II: MPF e PF investigam organização criminosa que usa sindicatos falsos para controlar Fieap

Compartilhe:





Além do cumprimento de oito mandados de busca e apreensão, foi autorizado bloqueio de bens dos investigados no montante de até R$ 400 mil

 

Arte: Secom/MPF

O alvo da Operação Sindicus II, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (24), foi uma organização criminosa responsável por constituir sindicatos falsos para controlar a Federação das Indústrias do Estado do Amapá (Fieap) com o objetivo de desviar recursos. Foram autorizadas pela Justiça Federal, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), oito medidas de busca e apreensão contra pessoas físicas envolvidas nos ilícitos. Também foi determinado o bloqueio de bens dos investigados até o montante de R$ 400 mil, bem como a suspensão das atividades de dez sindicatos envolvidos nas fraudes.

A investigação do MPF sobre os ilícitos foi iniciada em 2017 quando descobriu-se que uma organização criminosa atuava na criação de sindicatos fantasmas para assumir a diretoria da Fieap, com fins eleitorais e particulares. Concluídas as investigações, foram propostas as ações judiciais em relação ao grupo, que seguem tramitando na Justiça Federal. No ano passado, o MPF recebeu novas informações sobre a continuidade dos delitos.

A apuração indicou que parte dos integrantes da organização criminosa que atuou entre 2013 e 2017 seguiu com os crimes se associando a pessoas que, à época, eram suas adversárias. As provas colhidas, até o momento, apontam para a existência de disputa interna entre grupos que visam controlar a diretoria da instituição. A criação dos sindicatos falsos vem permitindo a promoção dos interesses da organização criminosa, mesmo estando a Fieap sob intervenção da Confederação Nacional da Indústria.

Até o momento, foram constatados indícios de fraudes em todos os sindicatos investigados. Alguns deles são controlados pelas mesmas famílias, e diversos integrantes não exercem a atividade econômica correspondente ao sindicato. Há, inclusive, casos de integrantes falecidos ou que sequer compõem quadro societário empresarial. Comprovou-se, ainda, que muitas das empresas pertencentes aos membros das diretorias dos sindicatos vinculados à atual gestão da Fieap não exercem atividade de indústria.

A partir dos elementos colhidos na segunda fase da Operação Sindicus, o MPF pretende esclarecer a estratégia adotada pela organização criminosa, coletar novas provas dos crimes e identificar a existência de outros envolvidos no esquema. O conteúdo deve embasar novas ações judiciais a serem propostas pelo MPF, com o fim das investigações.

Sindicatos com atividades suspensas na Operação Sindicus II:

Sindicato Estadual da Indústria do Vestuário do Estado do Amapá (Secieap)
Sindicato das Indústrias da Transformação e da Fabricação de Produtos Alimentícios do Estado do Amapá (Seiapac)
Sindicato das Indústrias da Transformação e da Impressão Gráfica no Estado do Amapá (Sigap)
Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Amapá (Simeap)
Sindicato das Indústrias de Beneficiamento e Transformação de Vidros E Cristais Planos no Estado do Amapá (Sinbevidros)
Sindicato da Indústria de Cortinados e Estofados do Estado do Amapá (Sincor)
Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos no Estado do Amapá (Sindmag)
Sindicato da Indústria de Doces e Conservas Alimentícias e Fabricação de Conservas de Frutas, Legumes e Outros Vegetais (Sindical)
Sindicato das Indústrias de Mineração do Amapá Classe 1 – Metálicos e Não Metálicos (Sindimap)
Sindicato das Indústrias de Reparação de Veículos e Acessórios (Sinreap)


Sindicatos com atividades suspensas na Operação Sindicus I:

Sindicato das Indústrias de Joalheria e Ourivesaria no Estado do Amapá (Sinjap)
Sindicato das Indústrias de Construção e Reparação Naval no Estado do Amapá (Sinav)
Sindicato das Indústrias de Mármore e Granito no Estado do Amapá (Sindmag)
Sindicato das Indústrias da Pesca no Estado do Amapá (Sindesp)
Sindicato das Indústrias de Extração de Óleos Vegetais e Animais no Estado do Pará e do Amapá (Sindeva)
Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Amapá (Sinpat)
Sindicato das Indústrias de Papel e Celulose no Estado do Amapá (Sinpel)

 

Fonte: MPF/AP

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia