Sesa e Corpo de Bombeiros prestam esclarecimentos sobre princípio de incêndio no Hospital de Santana

Compartilhe:





Em coletiva de imprensa realizada no final da tarde desta quinta-feira, 27, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) esclareceram dúvidas sobre o princípio de incêndio ocorrido nesta manhã no Hospital Estadual de Santana (HES).

O incidente aconteceu na área do Pronto Atendimento da unidade e teve início em um monitor de sinais na sala de estabilização. No espaço estava apenas um paciente que aguardava atendimento e foi imediatamente retirado do local sem ferimentos.

A unidade tinha 65 internados no momento do sinistro. Todos foram levados em segurança para outras unidades, como o Hospital de Emergência (HE) e Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), ambos em Macapá.

Pacientes que estavam no Centro de Atendimento Covid-3 acometidos pela doença foram levados para outras unidades do Estado e, com isso, todo o espaço foi desinfetado – não oferecendo mais risco de contaminação – passando a ser exclusivamente um centro de apoio ao HES. Assim, outra parte dos internados foi rapidamente transferida para o local.

O secretário de Saúde, Juan Mendes, explicou que preventivamente o prédio principal do Hospital ficará desativado para verificação de danos à rede elétrica e de gases medicinais. Ele ainda agradeceu a ação rápida da equipe do hospital e empresas terceirizadas que evacuou rapidamente os pacientes.

“Um parecer prévio que será dado pelo CBM nos próximos 5 dias deverá nos auxiliar no processo de reabertura da unidade de forma segura para os servidores e pacientes”, ressaltou o gestor.

Uma equipe médica fez o atendimento dos funcionários que prestaram ajuda na evacuação de pacientes e todos passam bem.

Os moradores do município de Santana que necessitarem de atendimento de urgência e emergência em saúde devem procurar atendimento no Centro de Reabilitação, localizado na rua Pedro Salvador Diniz. O espaço foi cedido pela prefeitura para o Governo do Amapá.

Perícia

Além do CBM, equipes da Polícia Técnico-Científica (Politec/AP) e da Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinf) estão participando da investigação que irá apontar as causas do incidente.

“Inicialmente a suspeita é de curto-circuito na rede elétrica, mas estamos colhendo todas as informações, inclusive com a Companhia de Eletricidade para verificar se houve algum problema relacionado à queda de energia no momento do incidente”, explicou o comandante geral do CBM, coronel Wagner Coelho. O laudo pericial deverá sair em no máximo 30 dias.

A Seinf será responsável pela elaboração de uma avaliação estrutural e possíveis adequações que deverão ser feitas no local.

 

Por: Claudia Cavalcanti /  Foto: José Baía

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia