Empresas de ônibus reivindicam reajuste da tarifa Macapá – Santana, defasada desde 2015

Compartilhe:





O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) aguarda uma decisão da justiça acerca da nova tarifa da linha interurbana Macapá – Santana. O processo se arrasta desde 2017 e tramita na 3ª vara Cível e de Fazenda Pública.

A tarifa está defasada desde 2015 e ficou vários anos sem reajuste. Em 19 de fevereiro de 2018, a Justiça concedeu tutela antecipada e reajustou a tarifa de R$ 3,00 para R$ 3,60, valor mantido até hoje. Quando o processo começou a tramitar, em novembro de 2017, o Setap pedia R$ 3,92. Atualizado o valor atual chega a R$ 4,10. A tarifa está tão defasada que chega a ser menor que a tarifa urbana de Macapá, que é de R$ 3,70.

De acordo com Renivaldo Costa, porta voz do Setap, o problema é a demora na definição de uma tarifa, o que acarreta acúmulo de índices. Ele afirma que as empresas sempre estiveram dispostas a discutir um reajuste alternativo, de forma escalonada, de forma que o cidadão não fosse tão impactado, mas não houve manifestação do Estado.

Durante o período da pandemia, o transporte interurbano foi o mais atingido. Mais de uma centena de veículos piratas realizam o transporte de passageiros nas rodovias Duca Serra e JK, sem qualquer fiscalização.

Ao todo, 34 ônibus realizam as linhas interurbanas (15 na Duca Serra, 15 na JK e 04 no Km 09).

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia