Região Norte contraria média nacional e população de idosos oscila no período entre 2001 e 2016






Número de pessoas acima dos 60 apresentou picos nesse período; Amapá foi o segundo estado da região com maior índice de jovens em 2016

Por Jalila Arabi

Em 15 anos, a população de idosos do Amapá oscilou, mas mostrou crescimento em alguns períodos. Em 2001, o número de pessoas de 60 a 64 anos e de 65 a 69 era de nove mil para cada grupo. Em 2003, porém, a população com idade entre 65 e 69 anos caiu, registrando cinco mil pessoas nessa faixa. E em 2015, o estado já contava com 19 mil idosos entre 60 e 64 anos - 10 mil a mais do que em 2001. 


Em 2016, no entanto, houve queda no registro desse público, passando para 14 mil pessoas com idade entre 60 e 64 anos. O recuo nesse número tem explicação. A pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em novembro, mostra que a região Norte foi a que apresentou maior número de jovens no ano passado, com 36,7% da população com menos de 20 anos de idade. O estado com o maior número de idosos foi o Pará, que registrou quase 800 mil em 2016. O Amapá ficou na vice-lanterna entre os sete estados, com 45 mil idosos - só perdendo para Roraima, com 37 mil pessoas com 60 anos ou mais.

Brasil registrou aumento no número de idosos de 2012 para cáMas o Amapá vem na contramão das estatísticas gerais, que mostram que a população idosa no Brasil está crescendo. Segundo o IBGE, entre 2012 e 2016 houve crescimento de 16% de pessoas com 60 anos ou mais. Enquanto isso, a parcela da população de crianças até nove anos caiu, reduzindo 4,7% em quatro anos. “O envelhecimento da população brasileira vai ser muito rápido e muito profundo”, avisa o pesquisador do Centro de Crescimento Econômico da Fundação Getúlio Vargas Fernando de Holanda Filho.

Expectativa de sobrevida
Em 2060, 24 pessoas economicamente ativas trabalharão para pagar a aposentadoria de 63 idosos. A matemática é do IBGE, que calcula que o número de pessoas acima dos 60 anos representará 33% de toda a população residente no Brasil. Hoje, essa parcela da população representa 13%. Caso a estatística se concretize, será um crescimento populacional de mais de 150%.

A expectativa de sobrevida da população também vem crescendo. A projeção nacional para pessoas aos 65 anos de idade em 2060 é de 21,2 anos a mais - ou seja, daqui a 40 anos, os idosos nessa faixa viverão até 86,2 anos. A expectativa de sobrevida no Amapá, segundo o IBGE, é a maior da região Norte, com 73,4 anos de idade no período de 2000 a 2030. As mulheres amapaenses viveriam mais, segundo as estatísticas - 76,3 anos contra 70,7 anos de idade dos homens nesse mesmo período.

O que preocupa o pesquisador Fernando de Holanda Filho é a situação da previdência no Brasil, já que são os jovens na ativa que sustentam os aposentados. E, para ele, a conta não está batendo. “Assumindo que existe uma proporção entre os benefícios de aposentadoria e o percentual da população e a quantidade de pessoas acima de 65 anos, isso torna tal sistema insustentável. A introdução de uma idade mínima para aposentadoria é fundamental.”

Reforma
Antes prevista para ser votada na primeira semana de dezembro, a reforma da Previdência deve ser colocada na pauta do plenário nos dia 13 e 20, primeiro e segundo turnos, respectivamente. O Governo ainda está buscando os 308 votos necessários para que a proposta seja aprovada.

Sara Rodrigues

(61) 983804161

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO