França quer aumentar a presença de amapaenses em universidades do país






Devido a fronteira com a Guiana Francesa, departamento ultramarino da França, nos últimos anos o Amapá vem fortalecendo as relações com o país europeu em diferentes setores, um deles é a educação. Neste sentido, um dos objetivos da Embaixada da França é ampliar o número de estudantes amapaenses em universidades francesas. O tema foi um dos assuntos abordados nesta terça-feira, 6, durante um encontro no qual o governador do Amapá, Waldez Góes, acompanhado da equipe de governo, recebeu o ministro conselheiro da Embaixada da França, Giles Pecassou, e o conselheiro de cooperação e ação cultural adjunto e diretor adjunto do Instituto Francês do Brasil, Olivier Giron. Esteve presente também o Pró-reitor de Relações Interinstitucionais da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Paulo Pelegrino.

Durante o encontro, os representantes da Embaixada da França destacaram que, para alcançar o objetivo de aumentar a participação de estudantes amapaenses em instituições francesas, é necessário ampliar a cooperação já existente entre o Amapá e o país europeu, o que pode ser efetuado por meio de bolsas de estudos, financiamentos e parcerias com universidades da França, como a Université de Guyane, na Guiana Francesa.

De acordo com a chefe da divisão de Extensão da Universidade do Estado do Amapá (Ueap), Suelen Félix, um dos motivos que podem dificultar o intercâmbio é a falta de um local de aplicação do teste de proficiência em francês, exame que comprova os conhecimentos na língua e é exigido por algumas das instituições de ensino do país.  Atualmente, para realizar o teste, os amapaenses precisam se deslocar a Belém, no Pará, cidade que possui uma unidade da Aliança Francesa, instituição reconhecida pelo Ministério da Educação Nacional na França a aplicar as provas para as certificações de proficiência.

Uma das possibilidades levantadas pela Embaixada da França foi a de capacitar professores do curso de Letras/Francês da Ueap para que eles possam aplicar o teste. A capacitação poderia ser ofertada por profissionais da Aliança Francesa. Pecassou e Giron destacaram, ainda, que a intenção é aproximar a Université de Guyane das instituições de nível superior do Amapá, para promover o intercâmbio entre alunos de ambos os países.

Ainda no setor educacional, a Embaixada da França destacou o apoio que oferecerá à Escola Professora Marly Maria e Souza da Silva, localizada no Conjunto Habitacional Macapaba, zona norte da capital, primeira escola com classes bilíngues no Amapá. “O governo francês auxiliará com materiais didáticos, pedagógicos e formação dos professores”, afirmou Giron. Os representantes da Embaixada da França também destacaram outras iniciativas voltadas aos estudantes brasileiros, como o Programa Férias-Trabalho, cujo objetivo é permitir que jovens franceses e brasileiros de 18 a 30 anos possam passar um ano no outro país vivenciando sua cultura, com a possibilidade de trabalhar no local.

Para a secretária adjunta de Políticas da Educação, da Secretaria de Estado de Educação (Seed), Dina Melo, o momento representa a intenção que o Governo do Amapá possui em ampliar a cooperação entre os países, em especial no setor educacional. “Temos a fronteira com a Guiana Francesa, que dá acesso à França como um todo, então, precisamos estreitar esta relação e buscamos fazer isso ao oferecer aos nossos alunos, com o ensino da língua e da cultura do país vizinho”, afirmou.

Waldez Góes destacou que o encontro discutiu assuntos que são vistos como prioritários para o Amapá e para a França. “Neste contexto, foi possível fortalecer as discussões relacionadas às iniciativas transfronteiriças nas áreas de Educação, Ciência e Tecnologia e Pesquisa, setores que o Estado já vem trabalhando com a França, prova disso é a inauguração da primeira escola bilíngue do Amapá”, afirmou o governador.

Pesquisa Científica

Outro assunto discutido no encontro foi o incentivo à pesquisa científica. Os representantes da Embaixada da França destacaram a importância do fortalecimento do Guyamazon, um programa franco-brasileiro de cooperação científica e universitária que envolve as fundações de amparo à pesquisa do Amapá, Amazonas, Maranhão e Pará.

No Amapá, o Guyamazon é coordenado e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado Amapá (Fapeap). Várias instituições do Estado já foram beneficiadas pela iniciativa, como o Laboratório Central de Saúde Pública do Amapá (Lacen) e a Ueap.

Transporte

Alternativas de melhorias no deslocamento entre Amapá e Guiana Francesa também obtiveram destaque no encontro. Dentre os pontos mencionados, os representantes da Embaixada da França destacaram a necessidade de discutir uma possível diminuição no valor de 175 euros que as seguradoras francesas cobram para que veículos possam passar para o lado o francês por meio da Ponte Binacional, que atravessa o Rio Oiapoque.

Outro ponto abordado foi a possibilidade de que uma empresa de aviação brasileira possa ofertar opção de voo entre Macapá e Caiena, oferecendo mais alternativas para comércio e turismo a brasileiros e franceses. Góes ressaltou que o Estado avalia uma alternativa para auxiliar neste processo.

Meio ambiente

As questões ambientais foram outro ponto que recebeu destaque durante o encontro. Um dos assuntos abordados foi a possibilidade de construir um aterro sanitário que atenda as cidades fronteiriças de Oiapoque, no Amapá, e Saint-Georges, na Guiana Francesa, a iniciativa atenderia os moradores que vivem na região, contudo, depende de questões legislativas de ambos os países. Os representantes da Embaixada da França destacaram que o assunto pode ser sugerido à Agência Francesa de Desenvolvimento, órgão do governo francês voltado para a cooperação financeira com o setor público de outros países.

Reunião Transfronteiriça

Waldez Góes e os representantes da Embaixada da França destacaram que as discussões sobre a cooperação bilateral serão ampliadas durante a XII Reunião de Comissão Mista Transfronteiriça (CMT), prevista para ocorrer nos dias 4 e 5 de junho de 2018. Trata-se de um evento anual que visa reforçar a atratividade entre os dois países. Nos próximos dias, o governador do Amapá irá ao Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, em Brasília para oficializar a proposta de realização do encontro.

Por: Andreza Teixeira / Foto: Márcio Pinheiro

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO