Waldez defende logística verde para uso do Arco Norte como rota do agronegócio brasileiro

Compartilhe:





Investimentos em logística verde para utilização do Arco Norte como rota do agronegócio brasileiro foi a pauta defendida pelo governador do Amapá, Waldez Góes, nesta terça-feira, 29, durante painel com governadores que integram o Consórcio Interestadual da Amazônia Legal no Fórum Regional de Logística e Infraestrutura Portuária – o Norte Export.

De acordo com Góes, governador que preside o consórcio, a utilização do Arco Norte – plano estratégico de transbordo dos portos de Rondônia, Amazonas, Pará, Amapá, Maranhão, Sergipe e Bahia – traria aos produtores uma economia de até 50% por tonelada de soja, em alguns casos.

 

“Precisamos inserir o conceito de logística verde, uma logística mais sustentável, que proporcionaria uma economia na utilização da cabotagem da bacia hidrográfica do maior rio do mundo, incluindo a Amazônia na rota mundial, garantindo acesso a insumos e equipamentos a custos menores, o que também contribuirá para o novo modelos de desenvolvimento econômico que o Consórcio está buscando”, destacou Góes.

O chefe do executivo amapaense também destacou a necessidade do bloco regional aproveitar as oportunidades trazidas pelo Acordo de Paris e o atual mercado de green bonds, também chamados de Títulos Verdes, emitidos para a captação de recursos para projetos de sustentabilidade que visam a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.

 

“O projeto de logística do consórcio estima R$ 20 bilhões para serem aplicados em parceria com o Governo Federal e o setor privado. Já a Climate Bonds Initiative (CBI) estima, só em 2020, $ 350 bilhões. Estimando o atual valor do dólar, estamos falando de apenas 1% para inserir a Amazônia no mapa logístico mundial, tornando-a mais integrada, competitiva e sustentável”, defendeu o governador do Amapá.

VEJA TAMBÉM: Fórum sediado no Amapá discute logística portuária e agronegócio na Região Norte

Norte Export

O Fórum funciona como um espaço permanente de debates sobre o setor e reúne os principais atores da cadeia de logística portuária, agronegócio e multimodalidade.

A programação engloba vários canais de informação, como site e redes sociais, que atuam como multiplicadores de conteúdos nos principais veículos do Brasil, oportunizando experiências, conhecimento e novas perspectivas sobre o momento atual e a retomada da economia.

Todos os debates do fórum são 100% online e gratuitos, o podem ser acompanhados através do site www.forumbrasilexport.com.br.

 

 

Por: Gabriel Dias /  Foto: Marcelo Loureiro / Secom

 

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia