Jornalista lança romance inspirado na trajetória de renomado pistoleiro

Compartilhe:





Concorrendo ao 5º Prêmio Kindle de Literatura 2020, com resultado final previsto para abril de 2021, o escritor e jornalista Emanoel Reis lançou recentemente o romance intitulado "Trezoitão", disponível em versão digital na Loja Kindle, da Amazon.com.br. A obra é ambientada na Amazônia dos anos 1980 e 1990, e conta a história do jornalista Eliano Calazans, que inicia a trama investigando o assassinato de famoso político de esquerda, defensor de trabalhadores rurais sem-terra. No decorrer das apurações, o repórter descobre que outras vítimas também foram executadas pelo mesmo pistoleiro, financiado por um consórcio montado nos escaninhos do governo estadual para contratação de matadores de gente usados na execução de opositores.

"Trata-se de um romance político-policial com dois personagens centrais: o primeiro, aborda a trajetória do pistoleiro Cici Silveira, o "Trezoitão", renomado matador de gente com atuação na Amazônia, muito ligado ao latifúndio (pecuaristas, madeireiros, carvoeiros, grileiros), responsável por dezenas de assassinatos. Suas vítimas usuais são políticos de esquerda, empresários, lideranças sindicais e religiosas, e ativistas sociais. É extremamente hábil, inteligente e calculista. Poucos sabem qual sua verdadeira identidade. O segundo: jornalista Eliano Calazans, 30 anos, repórter policial de um famoso jornal de grande circulação em Belém, capital do Estado do Pará. Calazans investiga a execução de conhecido deputado estadual, liderança comunista e advogado de agricultores, morto com três tiros na cabeça enquanto abastecia o carro em um posto de combustíveis", assinala o autor.

De acordo com Emanoel Reis, o pistoleiro é uma figura emblemática em ascendente atuação no interior da Amazônia Legal. É o braço armado do latifúndio, regiamente pago para assassinar opositores de seus patrões. "Existem os pistoleiros de faz-de-conta, fanfarrões de boteco, inventam histórias para atemorizar quem está ao redor, ou, para encantar alguma caboclinha das redondezas. Usam armas como um adorno. Para exibição. Não são levados à sério. E os matadores mais perigosos, simples como as pombas e silenciosos como as serpentes. Para esse tipo de homem, matar é uma profissão exercida com orgulho de cirurgião após uma intervenção bem-sucedida. Com uma diferença abismal: é especialista em tirar vidas", explica.

O livro foi lançado no dia 16 de outubro pela Kindle Direct Publishing e já está disponível na Loja Kindle, em livrarias de todo o planeta. "Passei mais de três anos dedicado a esta obra. Antes de tudo, pensei no enredo. Nos meses seguintes, iniciei os levantamentos. Mais tarde ampliei as pesquisas. Fiz várias viagens a Belém, onde boa parte do enredo se desenrola. Fui montando os perfis dos personagens. Durante o trabalho de produção, reescrevi vários inícios, refiz as tramas incontáveis vezes, montei e desmontei os capítulos. Ser romancista dá uma trabalheira danada. Sem o apoio de minha mulher, Socorro Bessa, eu não teria conseguido. Quando eu pensava em desistir, ela estava lá, ao meu lado: 'Vai em frente, você consegue'. Deu certo. E isso me deixou muito feliz."

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia