A pedido do MP-AP, militar que agrediu mulher e atirou em taxista tem prisão decretada






O Ministério Público do Amapá (MP-AP) ajuizou pedido de prisão preventiva contra o cabo da Polícia Militar, Rômulo Gaia Silva, pelos crimes de violência doméstica contra a esposa e de lesão corporal em um taxista que tentou impedir a agressão, praticados no dia de Natal (25), no município de Santana. O juízo da Comarca de Santana acatou a petição do promotor de Justiça Nilson Costa e decretou, nesta sexta-feira (28), a prisão do acusado.

Os crimes que foram registrados em vídeo veiculado nas redes sociais, no qual o militar aparece agredindo a esposa com tapas e socos, em seguida, atirando no taxista que saiu em defesa da mulher. O militar, após prestar depoimento na Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DECCM) no município de Santana, foi liberado.

O MP-AP entendeu necessária a adoção da medida judicial por não haver qualquer dúvida sobre a autoria e materialidade dos crimes e como medida para evitar a impunidade e garantir a segurança das vítimas.

 

Gilvana Santos

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO