Amapá teve a segunda maior redução de mortes violentas no país

Compartilhe:





O Estado do Amapá apresentou uma diminuição de 35,4% no número de mortes violentas nos primeiros três meses de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Monitor da Violência, que usa informações repassadas por órgãos públicos oficiais. De acordo com o levantamento, a taxa de redução no Amapá foi a segunda maior do país, atrás do estado do Ceará, ficando acima da média nacional, de 24%. Na Região Norte, o Amapá é o estado com maior índice de redução no número de mortes violentas. Outros dois estados, além do Ceará, apresentaram queda superior a 30% em homicídios: Sergipe e Rio Grande do Norte.

A queda no número de mortes violentas nos três primeiros meses do ano é resultado das políticas públicas implementadas pelo governo do Estado, com ações integradas e sob a coordenação da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). “Trabalhamos de forma integrada entre os órgãos de segurança pública da União, Estado e Município; além do Poder Judiciário, e sempre usando os setores de inteligência para ações mais efetivas. Não combatemos os crimes somente no confronto, mas também pelos serviços de monitoramento que, na maioria das vezes, desarticula ações criminosas”, destacou o titular da Sejusp, Carlos Souza.

O secretário também destaca os investimentos, em recursos humanos e infraestrutura, para melhorar os índices no setor. “Foram realizados concursos nas mais diversas áreas da Polícia Militar, Polícia Civil; além do Iapen [Instituto de Administração Penitenciária], que está ganhando novos agentes, e a Politec [Polícia Técnico-Científica], que também é inserida neste contexto”, enfatizou o gestor.

Além do aumento no efetivo dos órgãos de segurança, o Estado do Amapá investe em cooperação e tecnologia, para tornar os processos de investigação mais rápidos e eficazes, a exemplo do Termo de Cooperação Técnica com a Polícia Federal, para o compartilhamento de recursos tecnológicos de inteligência para fortalecer combate ao crime a nível local e nacional; e a implantação do novo sistema de radiocomunicação digital.

“Também podemos incluir nesses investimentos a reestruturação dos ambientes de trabalho do servidor, pois temos 16 obras, de diversos prédios de órgãos da segurança licitadas. Ou seja, é uma série de fatores que levam para diminuição de crimes”, concluiu Carlos Souza.

 

Por: Weverton Façanha /  Foto: Phillippe Gomes/Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO