Operação Hórus executa 23 mandados na região de fronteira e segue na região sul

Compartilhe:





Nesta segunda-feira, 15, o Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), divulgou o resultado da “Operação Hórus”, que aconteceu no município de Oiapoque, em parceria com órgãos federais de segurança pública.

Na região da fronteira, no período de 10 a 15 de fevereiro, foram cumpridos 23 mandados de busca e apreensão que resultaram na apreensão de drogas, armas brancas, armas de fogo caseiras e munições. A articulação integrada entre as forças policiais estaduais garante atuações ainda mais eficazes no combate ao crime organizado, presentes na região de fronteira entre o Amapá e a Guiana Francesa, cujo território é de 665 quilômetros.

De acordo com o secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública, Carlos Souza, a operação segue acontecendo na região sul do Amapá, próximo ao município de Laranjal do Jari.

"Continuamos as atividades da Operação na região sul para fiscalizar, prevenir e reprimir crimes comumente praticados nas regiões de fronteiras, como por exemplo, tráfico de pessoas, contrabando de recursos naturais, drogas e armas, ou ainda, crimes ambientais", explicou.

A atuação nas fronteiras brasileiras está ligada ao “Projeto VIGIA”, que é de iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Dentro da operação o Estado atua com o efetivo e logística, dentro de seu território, em conjunto com outras forças de segurança, tendo como contrapartida do Governo Federal o pagamento das diárias dos servidores deslocados, doação de bens aos órgãos estaduais que participam diretamente das operações e o treinamento para atuação na área de fronteira.

A Operação Hórus também conta com o reforço das Polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM/AP) e Exército Brasileiro.

 

 

Projeto V.I.G.I.A

Programa Nacional de Combate aos Crimes nas Fronteiras e Divisas, do Governo Federal, que se apresenta como ferramenta de integração entre as forças federais, estaduais e municipais, que de acordo com as especificidades de cada região, se unem para combater os crimes transfronteiriços.

Hórus

Simbolizado por um homem com cabeça de falcão, o deus Hórus era encarregado de garantir o nascimento dos dias. Na mitologia egípcia o deus é visto como o deus do céu, do sol nascente e mediador dos mundos.

A sigla V.I.G.I.A

 V – Vigilância da Fronteira.

 I – Integração entre as diferentes instituições do sistema de segurança pública.

 G – Governança: capacidade dos governos de planejar, formular e programar políticas e cumprir funções.

 I – Interoperabilidade: Trabalho conjunto dos diferentes órgãos.

 A – Autonomia: dos Estados no planejamento das ações de combate ao crime nas fronteiras e divisas.

 

 

Por: Henrique Borges

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO