GEA entrega material pedagógico para alfabetizar crianças dos 16 municípios






O Governo do Amapá (GEA) começou a entregar os kits de material pedagógico que irão ajudar professores do Estado e dos 16 Municípios a alfabetizar 100% das crianças até o fim do 2º ano do ensino fundamental – meta estabelecida a partir do ano letivo de 2019. A cerimônia que marcou o repasse dos primeiros kits ocorreu nesta terça-feira, 8, no Palácio do Setentrião, sede central do Poder Executivo amapaense, em Macapá.

Neste primeiro momento, a distribuição começará pelas escolas das redes estadual e municipal da capital e de Santana, as duas maiores cidades do Estado. Contudo, todos os 16 municípios receberão kits para estudantes e professores (do 1º ao 5º ano do ensino fundamental), adaptados à cultura amapaense.

 

A ação integra o Programa de Aprendizagem no Amapá (Paap), lançado em junho de 2017 pelo Governo do Amapá, em parceria com o Governo do Ceará. A metodologia assegura que os estudantes ingressem mais bem preparados no ensino médio.

O Estado investiu aproximadamente R$ 2 milhões para aquisição do material pedagógico. O kit do estudante contém cadernos de atividades de Língua Portuguesa e Matemática; cadernos de produção textual; além de coleções de livros de histórias. Os itens variam de acordo com a série do aluno. Já o kit do professor inclui: livro paradidático para reforçar a alfabetização; orientação didática; caderno de registros; cartazes; jogos matemáticos; CD´s, coletânea amapaense e coleção de livros infantis.

Durante a solenidade da entrega, o governador do Amapá, Waldez Góes, ressaltou a importância da melhoria dos índices educacionais e frisou a parceria e colaboração dos municípios para o sucesso do Paap.

 

“Não adianta um esforço isolado das prefeituras. Por isso, é necessário que todos estejamos envolvidos no processo. O programa é de Estado, e vai se transformar em lei, assumido permanentemente por todos nós”, afirmou o gestor.

O material pedagógico busca auxiliar a equidade dos estudantes amapaenses em Língua Portuguesa e Matemática, entre outras áreas do conhecimento, reforçando a qualidade dos conteúdos aplicados em sala de aula.

A ideia é subsidiar os alunos com o conhecimento equivalente à série correspondente para avançar nos demais níveis de escolaridade com a preparação adequada. A expectativa é que a iniciativa atenda mais de 80 mil alunos das redes estadual e municipal em 2019.

Cultura amapaense

Os livros, tanto do estudante quanto do professor, são adaptados do governo cearense, e trazem a valorização da identidade cultural do Amapá e o fortalecimento do trabalho de artistas locais, incluindo obras de artistas amapaenses como os cantores Osmar Júnior, Zé Miguel, entre outros. Estudantes da rede pública premiados em competições também tiveram seus textos publicados nos livros.

A poetisa Ane Carvalho acredita que o novo material didático com a identidade cultural amapaense ajudará a valorizar o trabalho dos artistas locais bem como contribuirá significativamente na educação das crianças, ajudando-as a reconhecerem a própria história social, cultural e histórica do Amapá.

 

“É uma honra muito grande para todos nós, artistas, contribuir com nosso material intelectual para obras educacionais do Estado. Essa é a imortalização do nosso trabalho”, declarou. 

Além do material didático próprio do Paap, também serão disponibilizados livros de autores amapaenses para a formação de professores, a exemplo da obra “Meu Canto Conta”, da escritora amapaense Arnely Schulz. O livro será utilizado em uma formação de professores do programa, voltada para a Matemática, para serem trabalhadas em sala de aula no contexto do 3º ano do ensino fundamental, estudando as habilidades e competências da série.

O artista digital amapaense Ronaldo Picanço foi o responsável pela ilustração de três capas dos livros. Cada capa retratou a identidade quilombola, indígena e ribeirinha do Estado.

Apoio aos municípios

O programa vai oferecer cooperação técnico-pedagógica aos municípios para a implantação e implementação de propostas didáticas de alfabetização. A Seed vai disponibilizar aos municípios orientações sobre o programa, materiais didáticos e metodologias de ensino, entre outros suportes técnicos e de avaliação, cedidos pelo governo cearense. Em contrapartida, os municípios devem disponibilizar estrutura e apoio para a implantação do programa, além de sensibilizar os servidores e comunidade sobre a proposta de ensino.

A iniciativa busca garantir mais qualidade na educação amapaense com apoio técnico do Estado aos municípios a fim de melhorar a educação como um todo refletindo, inclusive, positivamente nas avaliações educacionais como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Capacitação

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) promoveu processo seletivo e a formação de três mil professores, que receberam treinamento para serem multiplicadores da metodologia do programa em outros municípios, onde aprenderam técnicas que vão ajudar no reforço da alfabetização dos alunos, para que eles ingressem mais bem preparados no Ensino Médio.

A secretária de Educação, Goreth Sousa, reforçou que houve um grande investimento na formação de educadores, parcerias com o Instituto Natura, governo cearense, entre outros apoiadores, para garantir mais qualidade na educação pública.

 

“O professor estará preparado e capacitado para utilizar todo o material pedagógico para que os nossos estudantes tenham sucesso em sua vida estudantil diminuindo, assim, a evasão escolar e aumento os índices educacionais”, disse.

Ampliação

Para 2019, a expectativa é ampliar ainda mais as parcerias entre Estado e municípios, como no caso do transporte escolar, para que os estudantes da rede municipal e estadual possam utilizar o mesmo veículo, se for possível. Recursos estes que podem ser economizados e aplicados em outras melhorias na educação.

Por: Paula Monteiro /  Foto: Maksuel Martins/Secom

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO