Painel debaterá a proposta para Reforma da Previdência

Compartilhe:





Sindifisco-AP e senador Randolfe convidam a população para debater a proposta

apresentada pelo Governo Federal

 

Na próxima sexta-feira (10), o Sindicato dos Auditores e Fiscais do Estado do Amapá (Sindfisco Amapá) realizará o painel “Reforma da Previdência: fim dos privilégios, sim! Crueldade, não!”, no anfiteatro da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), às 18h. Para debater o tema mais importante da atualidade foram convocados o Diretor da Federação Nacional dos Fiscos Estaduais e Distrital Brasileiro (Fenafisco), Celso Malhani de Souza e o senador da república Randolfe Rodrigues (REDE-AP). A atividade será aberta ao público e com entrega de certificado.

 

O Governo Federal apresentou seu projeto de reforma da Previdência. Pela proposta de emenda constitucional, a idade mínima para se aposentar será de 65 anos para homens e 62 para mulheres, com comprovação de pelo menos 20 anos de contribuição à Previdência. Além disso, propõe mudanças no Benefício de Prestação Continuada, dificulta profundamente a obtenção da aposentadoria rural e introduz o controverso modelo de previdência por capitalização.

 

Para fazer a análise técnica da PEC apresentada pelo Governo, foi convidado o diretor de aposentados e pensionistas da Fenafisco, Celso Malhani de Souza, que também é presidente do Sindicatos dos Servidores Públicos da Administração Tributária do Estado do Rio Grande do Sul. Celso tem viajado o Brasil inteiro para debater o assunto.

 

“A proposta que foi apresentada é ineficiente, injusta e cruel. Afinal, ela não gera a economia que o Governo Federal necessita e penaliza os mais pobres, sem acabar com os privilégios. Nossa ideia é construir uma nova proposta, tendo em vista que é necessária uma reforma”, explicou o senador Randolfe que será o responsável pela análise política da reforma no debate.

 

A população com mais de 65 anos representa hoje 14,3% da população economicamente ativa no Brasil, de 15 a 64 anos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO