Obras do Luz para Todos iniciam em quatro comunidades de Macapá

Compartilhe:





Iniciou neste mês de junho as instalações de postes de cabeamentos da rede de distribuição de energia elétrica nas comunidades de Ariri, Águas Verdes, Curralinho e Porto do Céu, pertencentes à capital Macapá. Previstas para serem concluídas em setembro deste ano, as instalações vão permitir levar energia 24h para essas comunidades pelo Programa Luz Para Todos, do governo federal.

O Comitê Gestor Estadual, criado para acompanhar as obras do programa no Amapá, fez uma visita técnica às comunidades de Curralinho e Porto do Céu na sexta-feira, 7. O Comitê é formado por órgãos estaduais e federais, entre eles, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA).

As instalações de postes de cabeamento estão sendo feitas pelas Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletrobras/Eletronorte), que vai entregar o sistema pronto para a CEA vistoriar e distribuir a energia. O gerente do Luz Para Todos no Amapá, pela Eletronorte, Jocildo Lemos, informou que esta etapa representa o avanço das tratativas entre CEA e Eletronorte, enquanto agentes executores e integrantes do Comitê Gestor do programa, trabalham com o objetivo de universalizar o fornecimento de energia em todo território amapaense.

“Além dessas quatro frentes de trabalho que a Eletronorte está atuando em Macapá, pretendemos expandir essas instalações para os outros municípios, como Ferreira Gomes e Tartarugalzinho”, anunciou Jocildo Lemos.

O gerente de universalização da CEA, Vitor Souza, destacou que a companhia está atuando nos municípios de Mazagão, Vitória do Jari, Calçoene e Oiapoque enquanto agente executor do programa, desde a execução das obras até o cadastramento das famílias. Nos casos de execução feita pela Eletronorte, a empresa se responsabiliza pela inspeção da rede e, em seguida, a verificação cadastral dos usuários.

“Fazendo este procedimento, encaminharemos um relatório à Eletronorte para que sejam liberados mais recursos para a outra etapa do programa. Após esta finalização, a companhia será a responsável pela distribuição de energia e, também, pela manutenção do sistema de redes”, explicou Vitor Souza.

Luz Para Todos

O Luz Para Todos é uma iniciativa do governo federal, com contrapartida do Governo do Amapá. Inicialmente, o planejamento prevê a instalação de 17.004 novas ligações, beneficiando 68 mil pessoas. Destas, 5.274 estão sob a responsabilidade da Companhia de Eletricidade do Amapá. O restante, 11.730, será de responsabilidade da Eletronorte.

Para as 5.274 unidades que serão interligadas pelas empresas contratadas pela CEA, o custo é de R$ 82 milhões, dos quais o Governo do Amapá garantiu a contrapartida financeira de R$ 8,2 milhões (10% do total), sendo R$ 2,1 milhões já liberados à primeira etapa (Maracá, Lourenço e Carnot). Além destas comunidades, outras dos municípios de Oiapoque e Vitória do Jari, também serão alcançadas pelas obras da CEA.

O programa teve início no Amapá em 2006. A Eletronorte/Eletrobrás era a executora das obras para tirar as comunidades isoladas do escuro. A meta era atender pouco mais de 20 mil unidades consumidoras, contudo, em 2014, o programa foi paralisado e apenas 7 mil residências rurais receberam o serviço. Em 2018, o Governo do Amapá retomou o programa, após intensa articulação política do governador Waldez Góes em Brasília.

Coma a retomada do Luz para Todos foi criado o Comitê Gestor Estadual formado pela CEA, Eletronorte, órgãos responsáveis pelo licenciamento ambiental, como Instituto e Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente. E, ainda, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap), que cuidam da parte fundiária do processo.

 

Por: Cassio Albuquerque

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO