Promotoria do Consumidor instaura procedimento para investigar denúncias de preços abusivos em produtos de prevenção ao coronavírus

Compartilhe:





Nesta quarta-feira (18), o titular da Promotoria de Defesa do Consumidor, promotor de Justiça Luiz Marcos, participou de reunião, na sede do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon/AP), onde foram discutidos, junto ao setor empresarial, um conjunto de medidas para reforçar a fiscalização e verificar as denúncias de elevação nos preços de produtos indispensáveis à prevenção do coronavírus. O Ministério Público do Amapá (MP-AP) instaurou procedimento para apurar o caso.

Participaram da reunião, além dos representantes do MP-AP e Procon, o Sindicato dos Proprietários de Farmácias e empresários do ramo de fármacos. “Eles disseram que o aumento em determinados produtos começou nos distribuidores, que, por sua vez, alegaram aumento nas indústrias, resultado da enorme demanda criada diante dessa pandemia”, explicou o promotor de Justiça Luiz Marcos.

A Promotoria do Consumidor instaurou procedimento para investigar a origem dos reajustes e, para isso, solicitou que as farmácias e drogarias apresentem as notas fiscais das últimas compras realizadas por cada estabelecimento, a fim de verificar os valores realmente pagos.

“Vamos agir com rigor para que a população não seja ainda mais prejudicada, visto que o quadro requer o máximo de cuidados com higiene pessoal, logo, produtos como álcool, máscaras e material de limpeza não podem sofrer majorações injustificadas. Não vamos tolerar e agiremos para proteger o conjunto da sociedade”, frisou Luiz Marcos.

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO