MPF recomenda que estado e municípios do Amapá disponibilizem sites com informações completas sobre gastos com a covid-19

Compartilhe:





O Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao estado e aos municípios do Amapá que deem publicidade aos gastos de recursos públicos federais recebidos para o enfrentamento da covid-19. Os entes devem manter atualizados sites exclusivos dedicados à divulgação das informações. A recomendação, expedida nesta sexta-feira (15), fixa prazo de 48 horas para que os gestores adotem providências.

Na recomendação, o MPF orienta que os sítios sejam atualizados de forma contínua e em até 48 horas após o recebimento do repasse federal ou da utilização dos valores. Nas páginas devem conter todos os repasses recebidos, informações e documentos referentes às licitações, dispensas de licitações, contratações e aquisições realizadas para o combate à pandemia, com informações específicas sobre os contratados.

Análise feita pelo MPF constatou que nenhum dos portais da transparência dos entes públicos disponibiliza todos os elementos mínimos exigidos pela Lei 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação). Além disso, a maioria não mantém link exclusivo para informações sobre gastos com a covid-19; os que mantêm não fornecem dados suficientes. Desde 2011, os entes são obrigados a disponibilizar na internet o detalhamento de seus gastos.

O MPF adverte que o descumprimento da recomendação importará na adoção de medidas administrativas e judiciais cabíveis. O documento é assinado pelos procuradores da República Lígia Cireno e Pablo Beltrand, integrantes do Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República no Amapá.

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO