Sesa promove programação que realça a autoestima de mulheres com câncer de mama






A cor rosa choque tem um significado especial no mês de outubro, mas não apenas por ser símbolo da campanha Outubro Rosa. O tom evidencia a delicadeza e ao mesmo tempo, a força de mulheres que dispensam a ideia de "sexo frágil", e que não se deixam esmorecer pelo câncer ou que os tratamentos lhe tirem a exuberância.

Sabendo disso, no mês dedicado à luta e prevenção contra o câncer de mama, como parte da programação do Governo do Amapá, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), promoverá atividades que buscam realçar a autoestima das mulheres que são atendidas pela Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), com o Projeto "Outubro Rosa Cuidando da Mulher".

A programação acontecerá com as mulheres que estão em tratamento e com aquelas que superaram o câncer. O objetivo é mostrar a importância do apoio familiar, principalmente para o diagnóstico precoce da doença. As atividades trabalhadas vão desde exposição fotográfica das pacientes da Unacon, palestras sobre prevenção e diagnóstico precoce, entrega de lenços com oferecimento de técnicas de utilização, até sessões de massoterapia e sorteios de brindes, durante todo o mês de outubro.

Nesta sexta-feira, 06, às 9h30, acontecerá um ensaio fotográfico promovido em parceria com a Secretaria Extraordinária de Políticas para as Mulheres (SEPM). A ideia é valorizar a vaidade dessas mulheres, que mesmo com as consequências ocasionadas pelo tratamento, como a queda de cabelo, ou com as marcas de ter vencido a doença, não deixaram a autoestima ser abalada.

A programação também inclui um desfile, previsto para ser realizado no sábado, 21, com mulheres do Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma) e da Unacon, além de palestras sobre prevenção e diagnóstico precoce durante todo o mês de outubro e encerra com show da cantora Ariel.

"Nosso objetivo é envolver todos no contexto de dar apoio e conscientizar que tanto as mulheres quanto os homens, façam o autoexame, que é o maior recurso para identificar a doença ainda no início. Assim aumentamos as chances de cura e ganhamos tempo para nos defender", ressaltou a secretária de assistência à saúde, Hely Góes.

Por: Elmano Pantoja

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO