Governo orienta sobre os serviços que serão oferecidos na UPA Zona Sul






Com capacidade para realizar 150 atendimentos por dia, podendo chegar a 4.500 por mês, a Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) Zona Sul, será inaugurada nos próximos dias. Localizada numa das principais regiões de Macapá, com aproximadamente 230 mil habitantes, concentra 57% da população que vive na capital.

O grande número de habitantes, por consequência, concentra a maior parte dos atendimentos de saúde. Para explicar o fluxo da assistência, antes da inauguração, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), orienta sobre quais serviços serão oferecidos.

A UPA Zona Sul funcionará 24h por dia. A unidade tem estrutura para atendimentos de complexidade intermediária, que são casos com gravidade média de urgência e emergência. Entre eles estão problemas de pressão, corte com pouco sangramento, queda com torsão e muita dor, queda com suspeita de fratura, febre alta, cólicas renais, intensa falta de ar, convulsão, dores no peito e vômito constante.

O paciente que chegar à unidade receberá o atendimento médico para o controle do problema e detalhamento do diagnóstico. Na UPA, o paciente será estabilizado e, quando necessário, será encaminhado ao Hospital de Emergência (HE) de Macapá. O principal objetivo deste tipo de unidade é concentrar o atendimento aos pacientes menos graves e, também, alguns de maior gravidade, para que o HE possa se dedicar àquelas situações mais complexas.

A orientação reforça a campanha Mais Saúde, lançada pelo Governo do Estado em 2017, com o slogan "Quando você sabe onde ir, a saúde não perde tempo". A intenção é deixar o cidadão ciente sobre qual tipo de estabelecimento de saúde pública pode procurar de acordo com a gravidade do caso. Se o usuário procurar atendimento no lugar correto, prioritariamente na atenção básica, o Estado poderá potencializar o atendimento das especialidades, diminuindo ainda mais as filas e aumentando a qualidade do cuidado.

Atendimentos no HE

O HE é a unidade que deve atender casos de alta complexidade e emergência, encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), UPAs ou por ambulâncias, além de fazer atendimento clínico-geral em diversas especialidades. Ele funciona 24h e com cuidados para média e alta complexidade.

Tem prioridade, pacientes com maior gravidade, acidentes de trânsito envolvendo ortopedia, neurocirurgia, oftalmologia e AVC (Acidente Vascular Cerebral), entre outros. Assim como nas UPAs, o atendimento é prioritariamente para pacientes em risco, sendo orientado pela classificação de risco.

Atendimentos na UBS

As UBSs atendem traumas leves, sintomas leves de gripe, tonturas, dor abdominal leve, mal-estar, conjuntivite, entre outros. Além disso, oferecem consultas de rotina com clínico-geral, pediatra e com o ginecologista, quem que cuida da saúde da mulher e faz o pré-natal, além de receitas e vacinas.

As UBSs têm o compromisso de atender às pessoas na região onde moram ou trabalham. Nesses locais, os profissionais de saúde se articulam com outros hospitais da rede, para solicitar exames ou internações.

Por: Elmano Pantoja / Foto: André Rodrigues/Sesa

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO