Semsa orienta população sobre risco da água contaminada neste período de fortes chuvas em Macapá


O objetivo é diminuir o impacto de doenças causadas por vírus, bactérias e parasitas durante o período de alagamento e vazante dos rios e canais.


Buscando evitar maiores transtornos à saúde da comunidade neste período de fortes chuvas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) orienta que a população faça o uso do hipoclorito de sódio, distribuído gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, para o tratamento de água, evitando assim infecções e doenças resultantes de alagamentos em diversos pontos da capital.
 
O hipoclorito é utilizado para desinfecção da água para consumo humano, com o objetivo de prevenir doenças de transmissão hídrica e alimentar, diminuindo o impacto de vírus, bactérias e parasitas durante o período de alagamento e vazante dos rios e canais. Algumas enfermidades podem ser adquiridas pelo uso de água contaminada. Por isso é essencial consumir a água filtrada, fervida ou com duas gotas do hipoclorito.
 
A Semsa disponibiliza a substância hipoclorito de sódio em todas as UBSs. O produto deve ser utilizado principalmente pelas famílias atingidas com as fortes chuvas na capital.

Como usar?
Para purificar a água de consumo humano é recomendado usar duas gotas do hipoclorito para cada litro de água. Essa solução deve ser guardada dentro de um recipiente, como um pote ou garrafas plásticas. É importante manter o recipiente tapado, esperar 30 minutos, e só após pingar as gotinhas para consumir a água. Este tempo é necessário para que o desinfetante faça efeito, matando todos os microrganismos.
 
O que é o Hipoclorito de Sódio?
O hipoclorito de sódio é utilizado como desinfetante, sendo também usado para purificar a água para uso e consumo humano. Reduzindo as chances de contaminação por doenças, parasitas e bactérias causadores de diarreia, hepatite A, cólera ou rotavírus.

Doenças mais comuns causadas pelo consumo de água contaminada são Leptospirose, cólera, hepatite A e giardíase, sendo mais frequentes em crianças entre 1 e 6 anos, gestantes e idosos, devido a alterações no sistema imune.
 
A Prefeitura orienta ainda que a população também fique atenta para os risco de água parada, evitando a proliferação de doenças causadas pelo mosquito. Como por exemplo; Febre amarela, dengue, chikungunya e Zika vírus. Para combater o vírus a população deve evitar água acumulada e realizar frequentemente a limpeza do local.

Compartilhe isso:

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO