Civis e militares que atuam nas áreas de fronteira realizam viagem de estudos estratégicos ao Arco Norte



Nesta semana, um grupo de civis e militares da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) realizam uma viagem técnica a locais estratégicos do Arco Norte do Brasil, como Manaus (AM), Boa Vista (RR) e Pacaraima (RR). A programação conta com visitas ao 4º Batalhão de Aviação do Exército (4º BAvEx), Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAM) e à Operação Acolhida, além da participação em painéis com temas militares, logísticos, de ajuda humanitária e segurança integrada de fronteiras.

A programação foi organizada com o intuito de mostrar a realidade e a complexidade de regiões de fronteira. Segundo Tássio Franchi, Professor da ECEME, conhecer estes locais “ao vivo” é fundamental para quem trabalha ou poderá atuar com esferas de planejamento e logística militar. “Essa região apresenta um aparato operacional muito singular e difícil de operar. Além disso, principalmente para os alunos que vieram na viagem, a experiência é enriquecedora no sentido de entender as complexidades da Amazônia e sua importância vital para o país e não se deixarem levar por argumentos simplistas relacionados à região”.

Outro ponto importante da visita é à Operação Acolhida, deflagrada pelo Exército Brasileiro em 2018 para proteger os venezuelanos que atravessam a fronteira. “O Brasil sempre foi muito forte nestes aspectos relacionados à ajuda humanitária e o tema migrações afeta o mundo todo. É muito interessante ver o esforço do Estado brasileiro na recepção dos venezuelanos que chegam em condições de vulnerabilidade nas nossas fronteiras”.

Além do IDESF e dos demais integrantes da ECEME, a visita técnica conta com representantes da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Universidade Federal do Amazonas (UFAM). O Presidente do IDESF, Luciano Stremel Barros, destacou: "É uma honra para o IDESF participar desta visita técnica com a ECEME, pois aprimora o conhecimento sobre a importância estratégica da Amazônia para o desenvolvimento do Brasil. Os alunos que compõem esta delegação são oficiais que serão os futuros comandantes do Exército Brasileiro”. Franchi também comentou que além de ser uma viagem protocolar da ECEME, ainda são congregados esforços do IDESF, PROCAD Defesa e de projetos de pesquisa da União Europeia.

Até quarta-feira: Inscrições para o II Simpósio sobre Defesa Nacional

As inscrições para participação no “II Simpósio sobre Defesa Nacional - Fronteiras e Migrações: estudos sobre ajuda humanitária e segurança integrada” encerram nesta quarta-feira (22/09). O Simpósio terá transmissão online. Mas, o link será disponibilizado apenas para as pessoas que se inscreverem antecipadamente.
No link a seguir está o formulário de inscrições.
https://sistemas.eceme.eb.mil.br/sisgere/inscricoes/iisimposiodefesanacionalfrontreirasmigracoes/pg_inscricao_p1.php

O Simpósio é uma iniciativa do projeto PROCAD-Defesa apoiado pela CAPES e pelo Ministério da Defesa e tem como objetivo discutir dois eixos centrais:

Programação:


Painel 1: Desafios da Segurança Integrada de Fronteiras
8h às 12h (Horário de Boa Vista (RR). Pelo horário de Brasília, o evento inicia às 7h).
Palestrantes:
Luciano Barros, Presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF).
Gen. Fructuoso, Comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva.
Paulo Sergio Jaeger, Delegado da Polícia Federal
Mediador: Prof. Dr. Fernando da Silva Rodrigues (CIEEx/UNIVERSO)
Serão abordadas questões relacionadas aos ordenamentos fronteiriços e os desafios da atuação interagências.

Painel 2: Ajuda humanitária
13h às 16h (Horário de Boa Vista (RR). Pelo horário de Brasília, o evento inicia às 12h).
Palestrantes:
César Augusto da Silva, Professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).
Cel responsável pela Interiorização da Operação Acolhida (EB)
Dra Thais Menezes, Oficial de Relações Institucionais do ACNUR
Mediador: Prof. Dr. João Carlos Jarochinski Silva (UFRR)
Debate sobre as oportunidades e desafios advindos do fluxo migratório de venezuelanos e da atuação em Roraima da Operação Acolhida.

O II Simpósio é uma realização de pesquisadores da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (RJ), Universidade Federal do Amazonas (AM), Universidade Federal da Grande Dourados (MS), Universidade Federal de Roraima (RR), Universidade Estadual de Roraima (RR), Universidade Salgado de Oliveira (RJ) e do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF).

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO