Edital Natura Musical 2021: conheça a curadoria responsável por avaliar os projetos


Os artistas e projetos que receberão patrocínio para 2022 serão anunciados em dezembro


São Paulo, 14 de outubro de 2021 - Durante o período de 08 de setembro a 04 de outubro, o Edital Natura Musical recebeu inscrições de projetos artísticos e iniciativas de fomento à cena que já atuam profissionalmente no mercado da música e que estejam comprometidos com a geração de impacto positivo. No total, a plataforma recebeu 3720 projetos, sendo que 2602 correspondem à categoria de Criação Artística e 1118 representam propostas de Fomento de Cenas e Redes.

Seguindo as premissas de impacto social, cultural e econômico positivo que permeiam o Edital, no formulário foram incluídas perguntas de auto-declaração sobre a liderança dos projetos. "Em 2020, a plataforma Natura Musical passou por uma grande revisão de categorias, formatos e critérios para incorporar de forma mais contundente a visão de inclusão e impacto positivo. Vemos que esse compromisso começa a render frutos, com mais representatividade na liderança dos projetos e equipes, e ações concretas de inclusão e acesso, além do desenvolvimento artístico de grupos historicamente sub-representados. E, principalmente, a potência de mobilizar mais gente para as transformações que queremos ver no mundo", explica Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding. Dos 3720 projetos, quase 90% é formada por proponentes que declaram ter protagonismo ou liderança: de mulheres (86%), de pessoas negras (71%), de LGBTQIA+ (61%), de PCDs (13%) e de indígenas (11%).

A plataforma busca por propostas de artistas, bandas, grupos, coletivos e empreendedores culturais, em diversos estágios de carreira, que desejam desenvolver projetos musicais com relevância artística, que tenham impacto positivo e promovam a diversidade e a inclusão. Ao todo, Natura Musical disponibiliza R$ 5,5 milhões de reais em fomento, sendo R$ 1,5 milhão para a projetos de todos o Brasil e região Amazônica; R$ 1 milhão para Minas Gerais; R$ 1 milhão para a Bahia; R$ 1 milhão para o Pará ; R$ 1 milhão para o Rio Grande do Sul.

Curadoria Edital Natura Musical 2021

Os projetos serão avaliados individualmente e coletivamente por uma rede de curadoria formada por 21 profissionais do mercado da economia criativa. São artistas, jornalistas, produtores, ativistas, empreendedores culturais, representantes de festivais e outros players do mercado. "A curadoria do Edital Natura Musical 2021 tem como premissa dar visibilidade à riqueza das propostas que recebemos e distribuir os recursos de forma transparente e responsável. São profissionais de diversas regiões do Brasil e que carregam em si uma pluralidade de vivências e linguagens. O olhar atento desse time reconhece artistas e coletivos que já tem um impacto significativo ao mesmo tempo em que projeta novos caminhos", salienta Fernanda Paiva. O resultado final será divulgado até dezembro de 2021.

Participam do grupo de curadores: Ana Maia (RS), produtora cultural e fundadora do selo Escápula Records; Ana Paula Paulino (MG/RJ), dançarina, empresária e sócia da Ubuntu Produções; Anne Magalhães (SP), arte-educadora, artista visual e intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras); Bia Nogueira (MG) multiartista, diretora artística do Coletivo IMuNe e coordenadora do Festival Sonora; Carol Amaral (AM), advogada, DJ e co-produtora do Crias de Curupira; Gabriel Murilo (MG), mestre em Música pela UFMG e diretor do encontro internacional Música Mundo; Guilherme Guedes (DF/RJ), jornalista, apresentador dos canais Multishow e Bis e pesquisador musical; Ísis Vergílio (SP), artista interdisciplinar, repórter da revista Elle, produtora e diretora artística; Jaqueline Fernandes (DF), artista, ativista negra, Presidenta do Instituto Afrolatinas e fundadora do Festival Latinidades; Joilson Santos (BA), cofundador e coordenador do Feira Coletivo Cultural e do Feira Noise Festival; Josyara (BA/SP), cantora, compositora e violonista; Karla Martins (AC), ativista cultural, atriz e diretora da ABRAFIN; Keila (PA), cantora, compositora, dançarina e representantes do tecnobrega; Linn da Quebrada (SP), cantora, compositora, atriz, apresentadora e filosofa; Lucas Estrela (PA), produtor musical, compositor, guitarrista e artista multimídia; Márcia Wayna Kambeba (AM/PA), mulher indígena, mestra em Geografia pela UFAM, escritora e educadora; Paulo Floro (PE), jornalista, editor da revista O Grito! e professor universitário; Renata Tupinambá (RJ); mulher indígena, poeta, jornalista, produtora, roteirista; Tó Brandileone (SP), produtor musical, compositor e intérprete; TRANSÄLIEN (PE), multiartista, produtora cultural, DJ e idealizadora da Coletividade MARSHA!; Zudizilla (RS/SP), rapper, compositor e produtor musical.

Histórico Natura Musical

Em 2021, o programa Natura Musical completa 16 anos de atuação com foco em impacto positivo no setor cultural. No total, já foram investidos mais de R$ 170 milhões no patrocínio de 500 projetos em diversos estados do Brasil. "Acreditamos que quando temos a ambição de tornar o mundo mais bonito, é necessário ter em perspectiva que esse é um processo de médio e longo prazo. Então, ao olhar a trajetória do Natura Musical, sabemos que estamos no caminho correto em busca de uma mudança efetiva", finaliza Fernanda Paiva.

Alguns dos mais representativos compositores e intérpretes da nova geração já foram patrocinados pelo programa, como Linn da Quebrada, Djuena Tikuna, Emicida, Bia Ferreira, Rico Dalasam, Letrux, Tuyo, entre outros. Ao mesmo tempo, a plataforma apoia projetos emblemáticos de ícones da música brasileira: é o caso de Jards Macalé, com "Besta Fera", Elza Soares, com "A Mulher do Fim do Mundo", Dona Onete, com "Rebujo", por exemplo.

O Edital Natura Musical é a principal ação de fomento da Natura ao ecossistema da música, mas não é a única. A marca estabeleceu parcerias com as secretarias estaduais de cultura do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais e do Pará para ações de investimentos locais. São R$ 3 milhões de reais, investidos entre 2020 e 2021, em ações afirmativas como auxílios emergenciais para profissionais da cultura, formação e capacitação de agentes culturais e manutenção de atividades de base de instituições de formação.

Em 2017, como uma forma de ampliar seu impacto, Natura Musical expandiu a sua atuação, inaugurando a Casa Natura Musical. Em quatro anos de atuação, já passaram pelo palco mais de 200 artistas, que representam toda a diversidade da música brasileira. Desde que os eventos presenciais foram adiados em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, a Casa Natura Musical transferiu a sua programação para as redes sociais e já soma mais de 40 apresentações digitais. Com uma curadoria focada em nomes ascendentes e relevantes da música brasileira e um formato intimista e acolhedor, as iniciativas conquistaram o público em todo o país e até no exterior.

Ainda no ambiente digital, a plataforma lançou em 2021 seu primeiro podcast batizado como "Nos Encontramos na Música". O programa traz convidados para falar sobre diversidade, ancestralidade, empoderamento, comunidade e discutir o papel fundamental da cultura na construção de um mundo bonito, sustentável, igualitário e inclusivo. Nomes como Gilberto Gil, Emicida, Linn da Quebrada, Letrux, Ailton Krenak, Elza Soares, Rico Dalasam, entre outros, são os convidados da primeira temporada. A apresentação é da jornalista Sarah Oliveira. Fica o convite para ouvirem os episódios no nosso canal do Spotify. Ouça aqui

PR | Natura Musical
Luciana Rabassallo

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO