16 Dias de Ativismo 2021: iniciada programação da campanha contra a violência contra mulheres


Um dos temas abordados será o fortalecimento da Rede de Atendimento à Mulher desde que foi criada, em 2013.


Um encontro entre representantes dos órgãos que compõem a Rede de Atendimento à Mulher (RAM) marcou o início da Campanha Mundial dos 16 Dias de Ativismo – O Amapá Pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Meninas 2021, coordenada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Extraordinária de Política para Mulheres (Sepm).

O encontro aconteceu na última segunda-feira, 22, no Museu Sacaca e contou com a presença de movimentos sociais e de órgãos como Ministério Público Estadual (MP-AP); Tribunal de Justiça, Câmara Municipal de Macapá (CMM), Conselho Tutelar, além de servidores da Sepm. O grupo dialogou sobre prevenção e combate à violência de gênero.

Empreendida pela sociedade civil e pelo poder público, a campanha ocorre no mundo todo para conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressões contra meninas e mulheres. A ideia é propor medidas de prevenção e combate à violência, além de ampliar espaços de debate com a sociedade.

Na oportunidade, a Sepm apresentou a programação dos 16 Dias de Ativismo, que incluirá ações de empreendedorismo, palestras, blitz educativas, rodas de conversas, seminários, entre outros. Sempre em busca do enfrentamento e prevenção contra a violência de gênero.

Um dos temas abordados na Campanha será o fortalecimento da RAM desde que foi criada, em 2013. A secretária de Políticas para Mulheres, Renata Apóstolo, ressaltou que, atualmente, o grupo está mais mobilizado, articulado e foi reformulado com a integração de novos órgãos, com foco no atendimento à mulher vítima de violência.

"No decorrer nos 16 Dias de Ativismo, um dos assuntos que vamos abordar são as mudanças da Lei da RAM, que foi modernizada com novos órgãos participantes", lembrou a secretária.

O aperfeiçoamento da Rede foi reforçado pela promotora de Justiça em Defesa da Mulher do MP-AP, Andréia Guedes.

"A Rede de Atendimento à Mulher no Amapá está fortalecida para atender a quem precisa no momento necessário. Lembrando que quando uma mulher é atendida, ela já se sente melhor!".

 

Por: Alice Valena /  Foto: Ascom/SEPM

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO