‘O basquete e o tênis de mesa me fizeram despertar para a vida’, disse paratleta após criação do Comitê Paradesportivo de Macapá


O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado em setembro de 2021.


Kleverton Barbosa é paratleta do basquete em cadeira de rodas desde 2009 e do tênis de mesa desde 2017 e contou que conheceu os esportes graças a reportagens de TV. “A criação do Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi uma ideia brilhante, pois dá visibilidade ao paradesporto e centraliza nossas demandas e dificuldades. A Comel é acessível e sensível à causa do esporte. Para mim, a parceria com a prefeitura é muito boa!”, contou.

A Prefeitura tem apoiado a prática de esportes por pessoas por algum tipo de deficiência, seja motora, auditiva, visual ou física. O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado em setembro de 2021. Para o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, a iniciativa permite incentivar, principalmente, o esporte na base escolar.

O primeiro festival paraolímpico ocorreu na Praça do Barão, no dia 18 de setembro, e os paratletas jogaram goalball, futebol de amputados e basquete cadeirante. No final, todos receberam medalhas de participação. Alguns desses competidores, como Wilton Barros, do futebol de amputados, e Cleison Afonso, do goalball, contaram como comeram no esporte.

Realizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, no dia 4 de dezembro o evento foi voltado para crianças e adolescentes e apoiado pela Prefeitura de Macapá, através das coordenadorias municipais de Esporte e Lazer e da Pessoa com Deficiência e Idoso e secretarias municipais de Direitos Humanos e de Educação. Mais de quarenta crianças e adolescentes participaram, além da presença de Pablo Souza, medalhista paraolímpico que representou o Amapá em São Paulo.

Leonam Pinheiro também é jogador de basquete em cadeira de rodas e tênis de mesa e revelou que pratica ambos esportes há mais de cinco anos e que já viajou para São Luís, Fortaleza e Belém para disputar campeonatos. “O basquete e o tênis de mesa me fizeram despertar para a vida, pois achava que ela tinha acabado. Foi onde me destaquei e aprendi muito. Esporte é vida, é saúde, é educação. É tudo! Achei a iniciativa muito importante porque, antes, o paradesporto não tinha nenhum apoio do poder público e agora temos. Vamos ter mais visibilidade”, finalizou Leonam.

“O Comitê Paralímpico e Paradesportivo Municipal foi criado como ferramenta de fortalecimento e fomento de esporte em Macapá. Vamos fazer o 2º Festival Paralímpico esse ano, que vai entrar para o calendário de eventos municipais. Dar visibilidade ao paradesporto através de competições é a forma que temos de apoiar os paradesportistas”, explicou Cleudo Trindade, coordenador da Comel.

 

Por Bruno Monteiro / Foto: Arthur Pantoja

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO