Foto: Ana Cleide Torres /PMM
Em Macapá

Cinco Unidades Básicas de Saúde abrem agenda noturna para atendimento médico

Iniciativa busca atender público que não consegue ter acesso ao serviço durante o dia.

Nesta semana, a Prefeitura de Macapá iniciou o atendimento médico em contraturno em cinco Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital, recebendo também todas as demandas a partir das 18h. A medida busca atender trabalhadores e demais públicos que não conseguem ir até as unidade no período da manhã e tarde.

Inicialmente, a agenda noturna está funcionando nas UBSs Lélio Silva, Congós, Perpétuo Socorro, Marcelo Cândia e Marabaixo. O serviço é inédito na rede municipal de saúde e cada unidade deve atender aproximadamente 375 pacientes por semana.

“A consulta médica no contraturno é uma forma de alcançar a população que necessita do serviço e no entanto, não dispõe de tempo durante o dia e acaba negligenciando os cuidados com a saúde. Essa é uma forma de garantir ao cidadão atendimentos básicos que fazem parte da Atenção Primária”, explica a secretária municipal de Saúde, Erica Aymoré.

A gestora destaca ainda que a população já contava com atendimentos de saúde em horários alternativos como na Unidade Lélio Silva, que funciona 24 horas e as UBSs Marabaixo, Marcelo Cândia, Perpétuo Socorro e Congós, onde os serviços seguem até 1h. Nesses locais, A demanda é livre para os casos de urgência, mas a população também pode realizar o agendamento nos turnos da manhã e tarde.

Durante o horário estendido, a população terá acesso a consultas médicas, atendimento pediátrico, ginecológico, aferição de pressão arterial, medição de glicemia e testes rápidos para diagnóstico de HIV, Sífilis e Hepatites Virais, além da dispensação de medicamentos.

“O objetivo é ofertar todos os atendimentos durante a noite, aos poucos vamos ampliando os serviços para outras UBSs, assim como as consultas e exames ofertados”, concluiu a secretária.

Melhorias
A agenda noturna faz parte das ações executadas pela Prefeitura de Macapá para ampliar a oferta dos serviços da Atenção Primaria ao munícipe, buscando adequar os atendimentos de saúde à necessidade da população.

 

Por Ana Cleide Torres


O que achou desta notícia?