Foto: Gabriel Penha/ Fundação Marabaixo
Barracão da Tia Gertrudes

Ciclo do Marabaixo 2022: caixas rufam em homenagem ao Dia do Trabalhador

Programação marcou o domingo, 1º de maio, no barracão da Tia Gertrudes.

O tradicional marabaixo do Trabalhador marcou as homenagens à data, no domingo, 1º de maio, no barracão da Tia Gertrudes (grupo Berço do Marabaixo), no bairro Santa Rita, em Macapá. Antes das caixas rufarem, foi servido um almoço para os colaboradores e convidados.

As rodas de marabaixo iniciaram por volta de 16h. Os toques e os ladrões (versos) só eram interrompidos pelos sorteios de brindes promovidos pela organização.

Valdinete Costa, uma das coordenadoras do evento e do grupo Berço do Marabaixo, se diz satisfeita por mais um ano aliar a tradição do marabaixo com as homenagens ao Dia do Trabalhador.

 “É uma data significativa, importante. Essa programação, que é marca do grupo Berço do Marabaixo, agora faz parte de maneira oficial do Ciclo do Marabaixo. É a nossa forma de homenagear e agradecer aos trabalhadores amapaenses”, diz Valdinete.

A felicidade dela também estava na passagem da tradição do marabaixo de geração em geração. Além da filha, Lorrany Mendes, de 17 anos, que versava ao microfone e também dançava, o neto Davi Luiz Costa, de apenas 6 anos, chamava a atenção tocando caixa na roda, junto com os adultos, sob olhar cuidadoso da mãe, Lorena Costa.

De acordo com o calendário do Ciclo, o próximo evento acontece no domingo, 8 de maio. Será em homenagem ao dia das mães, no barracão do grupo Raízes da Favela (Dica Congó), no centro de Macapá. A programação do Ciclo do Marabaixo 2022 segue até 19 de junho, no chamado “Domingo do Senhor”.

Reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2018, recebe apoio do Governo do Estado, com investimento de R$ 110 mil, através da Secretaria de Cultura (Secult), divididos igualmente entre os grupos realizadores. A programação também recebe apoio institucional da Fundação Estadual de Promoção da Igualdade Racial, a Fundação Marabaixo, órgão que substitui a extinta Seafro.

 

 

Por: Gabriel Penha


O que achou desta notícia?