Encontro

Evento reúne lideranças femininas para debate sobre pandemia, mercado de trabalho, ESG e saúde

Roda de conversa ocorreu no Centro Universitário São Camilo SP; Mônica Calazans e Sabrina Parlatore estavam entre as convidadas

A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo e a campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda” promoveram um encontro entre lideranças femininas no dia 28 de abril para debater temas como saúde, pandemia, mercado de trabalho e práticas ESG (Environmental, Social and Governance).

A roda de conversa reuniu nomes como Mônica Calazans, enfermeira do Hospital Emílio Ribas; Dra. Aline Thomaz, geriatra e CEO da Rede São Camilo SP; Meriele Santos de Oliveira, paciente do Hospital São Camilo Oncologia; Jéssica Paraguassu, CEO da empresa e plataforma Mulheres no Comando; e Sabrina Parlatore, apresentadora e ativista no combate ao câncer de mama.

O evento aconteceu em formato híbrido, no auditório do Centro Universitário São Camilo (CUSC) Pompeia, e foi transmitido via YouTube. A moderação ficou por conta da Dra. Aline Sabino, psiquiatra da Rede de Hospitais São Camilo SP, que conduziu o evento de forma leve e descontraída.

No início do debate, Sabrina e Meriele relataram suas histórias de luta contra o câncer de mama. Em seguida, a pandemia de Covid-19 e os efeitos do isolamento social imposto por ela ganharam destaque.

“Eu fiquei bastante impactada psicologicamente. O confinamento trouxe uma ansiedade. Neste momento, as crises de pânico que eu tinha quando mais nova voltaram", ressaltou a apresentadora.

Já Meriele, além de lidar com todas as questões e medos que a Covid-19 trouxe para sua vida, precisou encarar com outro diagnóstico. “No começo da pandemia eu fiquei muito preocupada e com medo. Foi neste período que eu acabei descobrindo que estava com câncer de mama também."

Mônica, por sua vez, que esteve na linha de frente no combate ao vírus, expôs ao público seu ponto de vista como profissional da saúde. "Essa questão da saúde mental foi forte. Todos os dias, quando eu levantava e olhava o celular, via os números de morte aumentando. Eu tive que segurar a barra. Consegui ter o controle do meu emocional, mas não são todos que conseguem este equilíbrio.”

O ponto central da noite foi o tópico liderança feminina, que trouxe à tona questionamentos sobre o protagonismo feminino, especificamente no mercado de trabalho.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Grant Thornton, as mulheres ocupam 38% dos cargos de liderança no Brasil, um número considerado relativamente baixo ainda. Mesmo com esta discrepância, estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) afirma que 52% das empresas que possuem mulheres na liderança apresentam melhores notas em índices ESG.

"A preocupação sobre a participação de mulheres em cargos de liderança no mercado aumentou muito, mas se a gente procurar dados sobre essa evolução, ainda é mínima. Estamos andando em passos de formiga e a pandemia colaborou ainda mais para o retrocesso", destacou Jéssica.

"Esse é um cenário em que nós, mulheres, podemos nos inibir ou nos desafiar. Eu sempre preferi me desafiar. É muito da nossa responsabilidade lidar com certos processos, como o quanto você se deixa afetar pela opinião do outro, do quanto o outro te enquadra e do quanto você se deixa enquadrar. O meu aprendizado é não deixar qualquer coisa nos abalar, saber quem somos, onde estamos e o motivo”, complementou a Dra. Aline Thomaz.

O terceiro e último ponto abordado foi sobre práticas ESG e a sua relação com as mulheres, quando as convidadas exaltaram as transformações nos modelos de gestão das empresas, além de compartilharem suas vivências.

 

Sobre a campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda”

O Brasil já soma 27 anos de ações de sucesso em prol da campanha, administrada pelo CFDA Foundation (Fundação do Conselho de Designers de Moda), sendo representado pelo São Camilo Oncologia como licenciado exclusivo da marca.

A unidade, que possui uma trajetória de mais de 50 anos na Mooca, oferece serviços especializados no tratamento do câncer e integra a Rede de Hospitais São Camilo São Paulo.


O que achou desta notícia?