Adolescentes e jovens de 15 a 29 anos podem fazer atendimentos psicológicos em Santana

Os acolhimentos são feitos por uma psicóloga de maneira presencial. Saiba como participar.

Com o intuito de prestar apoio psicológico para adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos, a Prefeitura Municipal de Santana, através da Secretaria Extraordinária da Juventude (Sanjuv), vem realizando atendimentos psicológicos. O projeto oferece um primeiro contato entre quem precisa de ajuda e um profissional para prestar orientações.

Os atendimentos são feitos de maneira presencial, na Casa da Juventude, e são gratuitos. Atualmente, os atendimentos estão disponíveis nas segundas, terças e quartas-feiras.

 

Acompanhamento psicológico

A psicóloga Aline Carina, que realiza os atendimentos na Casa da Juventude, explicou que na adolescência e na juventude é quando ocorrem mais incidências de transtornos mentais, tendo em vista a dificuldade de lidar com as decisões e mudanças dessas fases da vida.

Entre os principais transtornos diagnosticados nessa faixa etária, a profissional citou a depressão e a ansiedade: “Os principais sintomas desses transtornos são a dificuldade de lidar com a mudança de rotina e corporal, dificuldade em tomar decisões, relatos de sintomas de ansiedade, negatividade para lidar com a vida, falta de ânimo para realizar atividades do dia a dia e tristeza profunda”, afirmou Aline Carina.

Ainda de acordo com Aline, os familiares, amigos e pessoas que convivem com adolescentes e jovens devem ficar atentos a sinais como: dificuldade para lidar com situações do dia a dia, pensamentos negativos, falas negativas e tristeza profunda: “A hora de pedir ajuda é quando se nota que as coisas não andam bem, quando não se consegue lidar com os pensamentos, emoções e sentimentos”, concluiu a psicóloga.

É possível perceber que o atendimento psicológico tem vários benefícios, além dos que já foram citados. Abaixo outros benefícios são destacados:

Ser capaz de compreender melhor a si mesmo; aumento da autoestima; segurança na tomada de decisões; autonomia; amadurecimento psicológico; autoconhecimento; consciência das origens de seus comportamentos; identificar com maior facilidade seus sentimentos; diminuir ou cessar os sintomas de doenças causadas por um desequilíbrio emocional ou doenças somáticas; estabilidade e equilíbrio emocional; melhoria na relação consigo mesmo e com os outros; melhoria na qualidade de vida.

O psicólogo busca escutar. A escuta é uma ferramenta de sua profissão que busca acolher, investigar, explorar as demandas ou questões que o paciente traz para o consultório. Escutar o paciente, faz com que o próprio paciente se escute, se coloque diante suas próprias palavras, reconhecendo aquilo que é seu, tendo a possibilidade de obter conhecimento sobre si mesmo, construindo algo novo para si, uma nova forma de se relacionar consigo e com o mundo.

 

Éden Pacheco


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos