Saúde

PROPED ajuda a tratar do tema de convulsão e epilepsia na infância

O Programa de Atualização em Terapêutica Pediátrica foi criado para ajudar profissionais e estudantes a aprofundarem o conhecimento e se especializarem.

Entre outras coisas, uma das vantagens do PROPED (Programa de Atualização em Terapêutica Pediátrica) está na abordagem dos conhecimentos que tratam de convulsões e epilepsia na infância. A situação é uma das que mais preocupam os pais ou responsáveis pelo menos, já que crises epilépticas são sinais de alerta e indicam que algo não está bem com a criança.

Entenda o que é a epilepsia na infância

No geral, as convulsões são alguns dos sintomas que se relacionam com a epilepsia. Trata-se de uma condição cerebral que gera alterações repentinas e breves na atividade elétrica do sistema nervoso central. Ao contrário do que se acredita, a epilepsia não tem apenas um sintoma (convulsão). As repercussões da doença podem afetar todo o sistema motor, o raciocínio e as emoções do paciente, sendo que isso também pode ser observado em crianças.

Durante uma crise epiléptica, o organismo libera uma quantidade enorme de hormônios, até quatro vezes maior do que uma descarga comum efetuada pelas células cerebrais. Programas como o PROPED ajudam os profissionais de saúde ligados à pediatria a obterem um entendimento geral sobre o tema e conseguirem oferecer soluções multidisciplinares para o problema.

Vale lembrar que, dependendo de como a epilepsia acontece, os frequentes episódios de convulsão podem desencadear consequências para a vida toda, principalmente quando os casos começam ainda na infância.

Como o PROPED ajuda profissionais a tratar a epilepsia

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), muitas epilepsias são autolimitadas e ocorrem somente dentro de uma faixa de idade determinada. Entretanto, outras podem durar por toda a vida. Para fazer esta diferenciação é fundamental elaborar corretamente o diagnóstico da síndrome epiléptica . Considera-se que a Epilepsia está resolvida nos indivíduos que têm SE idade-dependente e que já passaram da faixa etária de risco ou naqueles que estão livres de crise nos últimos 10 anos sem usar fármacos anticrise nos últimos 5 anos”.

Para fazer o controle dessa condição de saúde nos primeiros anos de vida, o conhecimento sobre a situação é muito importante. O PROPED tem por finalidade oferecer conhecimento amplo sobre pediatria e aborda a epilepsia entre seus temas. Dessa maneira, participar do programa tende a aumentar a capacidade dos profissionais de solucionar esse problema que afeta 4 milhões de pessoas só no Brasil.

Aliás, a taxa de epilépticos no país é duas vezes maior do que no mundo. Estima-se que no mundo haja 70 milhões de pacientes que sofrem com essa condição, o que representa 1% da população mundial. No Brasil, a porcentagem é de 2%. Isso acende um alerta para os cuidados desde a primeira infância. Tornando a epilepsia uma importante matéria a ser abordada no PROPED e na saúde nacional como um todo.

Vale destacar que todos os profissionais de Saúde precisam se especializar no assunto, desde médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e vários outros.


O que achou desta notícia?