Estudo aponta que no Amapá demanda por aperfeiçoamento profissional é superior a 6 mil trabalhadores


Um estudo realizado pelo Observatório Nacional da Indústria demonstra que até 2025, 6,3 mil trabalhadores amapaenses vão precisar de aperfeiçoamento profissional. Isso representa um público que já está inserido no mercado de trabalho, mas que deve se atualizar. Os dados do Mapa do Trabalho Industrial também trouxeram que 2,4 mil pessoas vão demandar capacitação para preencher novas vagas.

O levantamento aponta que as áreas com maior necessidade por formação são: Construção, Logística e Transporte, Transversais, Metalmecânica, e Alimentos e Bebidas. As ocupações transversais são aquelas que permitem ao profissional atuar em diferentes áreas, como técnico em Segurança do Trabalho, técnico de Apoio em Pesquisa e Desenvolvimento e profissionais da Metrologia, por exemplo.

Levando isso em consideração, o SENAI Amapá oferta cursos focados em oferecer opções de iniciação e de aperfeiçoamento, levando em consideração a transformação que o mercado de trabalho vem passando.

“O uso de novas tecnologias e as mudanças na cadeia produtiva sinalizam que cada vez mais o Brasil precisará investir em aperfeiçoamento e requalificação para que os profissionais estejam atualizados e preparados para assumir as ocupações industriais”, destaca a diretora de Operações do SENAI Amapá, Alyne Vieira.

 

Cenário político, econômico, tecnológico e de emprego

O Mapa do Trabalho Industrial é uma projeção do emprego setorial que considera o contexto econômico, político e tecnológico. Um dos diferenciais é a projeção da demanda por formação a partir do emprego estimado para os próximos anos.

Para esse cálculo, são levadas em conta as estimativas das taxas de difusão das novas tecnologias nas empresas e das mudanças organizacionais nas cadeias produtivas, que orientam o cálculo da demanda por aperfeiçoamento, e uma análise da trajetória ocupacional dos trabalhadores no mercado de trabalho formal, que subsidiam o cálculo da formação inicial. Um trabalho de inteligência de dados e prospectiva que deve subsidiar ações e políticas de emprego e educação profissional.

O estudo agrupa as ocupações industriais em 25 áreas. Abaixo, as que mais precisarão formar até 2025:

Áreas com maior demanda por formação (inicial + continuada)

Área

Demanda

Construção

2.090

Logística e Transporte

1.273

Transversais

1.214

Metalmecânica

759

Alimentos e Bebidas

588

Telecomunicações

390

Mineração

387

Tecnologia da Informação

361

Automotiva

292

Eletroeletrônica

258


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos