PF investiga brasileira que ativou celular furtado de funcionário da Receita Federal na Guiana Francesa

A mulher teria ativado o aparelho com chipp do Brasil. A vítima teve o carro incendiado em 2021, e objetos furtados enquanto ele trabalhava na aduana francesa.

A Polícia Federal no Oiapoque/AP deflagrou na manhã desta terça-feira (26), a Operação Off line*, para reprimir os crimes furto qualificado e receptação de bens de funcionário da Receita Federal da Guiana Francesa.

Os policiais deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão na casa de uma suspeita, residente no centro de Oiapoque/AP.

A investigação

A PF no Oiapoque iniciou a investigação após comunicação das autoridades francesas, de que no dia 25 de setembro de 2021, na cidade Saint George, brasileiros teriam furtado ferramentas, um aparelho celular, pneus e peças do carro de um funcionário da Receita Federal da Guiana Francesa (douane). Após o ato, os criminosos teriam incendiado o veículo e fugido para o Brasil.

A PF identificou que um dos investigados habilitou o celular com um “chip” brasileiro. A ação de hoje tem o objetivo de colher mais elementos acerca da participação da investigada na empreitada criminosa.

Quando o crime é praticado por um nacional, em território estrangeiro, e o indivíduo retorna ao Brasil, a lei brasileira é aplicada. Os delitos apurados até o momento são de furto qualificado e receptação. Em caso de condenação, as penas somadas podem chegar a 12 anos de reclusão.

* Off line: Em referência à descoberta que a PF fez de que um dos investigados habilitou no Brasil o aparelho celular furtado.

Na Operação "Off line" a Polícia Federal investiga furto de funcionário da Receita Federal da Guiana Francesa; ele teve carro incendiado em 2021 - Foto: PF/Divulgação


O que achou desta notícia?