Salvaterra. Foto: Guto Nunes

ACENA promove festival de carimbó no Conjunto Maguari

Mestre Damasceno, Claudete Tijupá e Lourival Igarapé vão ser os mestres homenageados. Evento vai durar três dias e conta com a participação de mais de 20 grupos e bandas de carimbó

Será realizado o I Carimbó ACena Fest, do dia 11 ao dia 13 de novembro. O festival  vai reunir, em três dias de apresentações, mais de 20 grupos e bandas que tocam um dos ritmos mais expressivos para a cultura paraense, o carimbó. Mestre Damasceno, oriundo do Marajó, Claudete Tijupá, moradora de Marapanim, e Lourival Igarapé, habitante do Paracuri, serão os mestres homenageados do evento. A ideia é que pelo palco passem variados estilos de se fazer esse, que é mais que uma expressão musical, mas um estilo de vida.  Africanos de Icoaraci, Carimbó da Maria, Coletivo Tamborimbó, Grupo de Expressões Parafolclóricas Uirapuru estão no line-up que reúne grupos tradicionais e também aqueles que tocam com instrumentos plugados ou incomuns ao ritmo, como a guitarra e a bateria. Entretanto, todos os participantes têm algo em comum: o  amor e a vontade de salvaguardar o carimbó.

O I Carimbó ACena Fest  é  uma iniciativa cultural do Ponto de Cultura Associação Cultural e Esportiva de Negros, Negras e Afrodescendentes da Amazônia (ACENA). A organização, que fica localizada no Conjunto Maguari, completa no ano de 2022, 10 anos de resistência na periferia de Belém, e em outros pontos da cidade e do estado. A organização já atuou fora da região metropolitana, como,  por exemplo, na comunidade quilombola Itancoã Miri, no município do Acará, e no Marajó, em Cachoeira do Arari. “A ACENA é uma entidade cultural, sem fins lucrativos, que desenvolve um trabalho direcionado ao resgate, valorização e fortalecimento da cultura popular paraense e da cultura afro brasileira. E, para tanto, vem atuando nos segmentos do teatro, música, dança e literatura, como também na cobertura cultural e esportiva de eventos em geral.” explica Harles Oliveira, sócio fundador e produtor da Acena. 

O Festival  não se resume somente aos shows dos grupos e bandas de carimbó, mas também contempla bate papo com os mestres e mestras, oficinas de percussão e produção cultural,  como explica Harles, “o I Carimbó ACena Fest é um evento de grande importância para fazedores de cultura de nosso estado porque não só oportuniza espaço aberto para mestres, mestras e grupos de carimbó mostrarem os seus trabalhos, como também proporciona oficinas de produção cultural e de percussão gratuitas às comunidades do entorno de nossa sede e aos demais agentes culturais interessados em se aprofundar em conteúdos e aprendizados relacionados ao segmento. Será um grande encontro festivo com a comunidade carimbozeira de nosso estado, após um longo período de afastamento provocado pela pandemia da covid19”, finaliza.  

A relação da Associação de Negros, Negras e Afrodescentes da Amazônia com o carimbó e as expressões culturais paraenses não surgiu com a construção do festival. O ponto de cultura já realiza trimestralmente o Tamborimbó, uma roda de tambor e carimbó, que já está na sua décima sexta edição. Para mestre Damasceno, um dos homemageados pelo I Carimbó ACena Fest, existe muita felicidade e expectativa para se apresentar, “Eu quero agradecer a todo esse povo, o convite feito pela ACena de ser homenageado em Belém no meio de diversos grupos do Pará eu agradeço a homenagem e até o show”, convida Damasceno. 

Este projeto é patrocinado pela emenda parlamentar do então Deputado Federal Edmilson Rodrigues,  com o apoio institucional da FADESP, EMUFPA, PROEX, UFPA, Ministério da Educação e Governo Federal. A produção é assinada por Tapajós – Produção e Eventos e o Apoio Cultural por Coletivo Tamborimbó. O Festival de Carimbó de Belém – I CARIMBÓ ACENA FEST possui a Coordenação Geral da Profª Lúcia Uchôa, Direção Artística de Harles Oliveira e Coordenação de Produção de Francisco Tapajós e Isabel Afonso.

 

Serviço:

Período: 11 a 13/11/22 (das 14h às 00h), Local: Ponto de Cultura ACena. Informações: 91 98152-2682 (whatsap). 

 

PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL DE CARIMBÓ

OFICINAS:

Dia 05/11/22 (das 9h às 12h) – Oficina de Produção Cultural – Oficineira: Lorena Saavedra (Produtora Cultural e Educadora)

Dia 06/11/22 (das 9h às 12h) – Oficina de Percussão (ritmo afro) – Oficineiro: Mestre Flávio Gama (Músico, Artesão e Arte-educador)

Dia 06/11/22 (das 15h às 18h) – Oficina de Percussão (ritmo regional) – Oficineiro: Alex Launé (Diretor Musical e Músico Percussionista)

 Sexta-feira (11/11/22)

MOSTRAS DE GRUPOS MUSICAIS:

 

15h-16h

Roda de Conversa com Mestres

16h-17h

Grupo Sancari

17h-18h

Grupo de Cultura Regional Iaçá

18h-19h

Mestre Damasceno

19h-20h

Grupo Tarubá

20h-21h

Coletivo Tamborimbó

21h-22h

Grupo Parananin

22h-23h

Banda Carimbó da Maria

 

Sábado (12/11/22)

14h-15h

Grupo Pitiú de Cobra

15h-16h

Coletivo Cidade Tambor

16h-17h

Grupo Tamboiara

17h-18h

Grupo Paranativo

18h-19h

Mestra Claudete do Tijupá (Marapanim)

19h-20h

Grupo Bico de Arara (São Caetano de Odivelas)

20h-21h

Grupo Amazônia

21h-22h

Grupo Jurupari

22h-23h

Banda ACena

 

 

 

 

Domingo (13/11/22)

14h-15h

Grupo Os Africanos de Icoaraci

15h-16h

Grupo Batucada Misteriosa

16h-17h

Grupo As Manas do Carimbó

17h-18h

Mestre Lourival Igarapé e Grupo Queimadas

18h-19h

Grupo Águia de Ouro (Cachoeira do Arari)

19h-20h

Coletivo Tamborimbó

20h-21h

Grupo de Expressões ParaFolclóricas Uirapuru 

21h-22h

Grupo Sabor Marajoara

22h-23h

Banda Carimbó Mururé

 

Por Roberta Brandão

Veja fotos


Claudete Tijupá. Foto: Roberta Brandão

Mestre Lourival Igarapé. Foto: Pierre Azevedo



O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos