Foto: FreePik

No mês de combate à doença, SOBOPE alerta para importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

Consultas de rotina, além de atenção aos sinais e queixas recorrentes são principais ferramentas para garantir maior chance de cura

Para cada ano do triênio de 2020 a 2022, foram estimados mais de oito mil novos casos de cânceres infantojuvenil no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Por isso, no mês com duas importantes datas de incentivo à conscientização sobre o câncer: Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (23) e Dia Internacional e Nacional de Combate ao Câncer (27), a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE) reforça a importância do diagnóstico precoce e as formas de identificar os sintomas e sinais da doença, sobretudo no público infantojuvenil, uma vez que a demora no diagnóstico tem grande impacto sobre as chances de cura.

Os cânceres com maior incidência nessa faixa de idade são a Leucemia e os tumores do Sistema Nervoso Central (SNC). As leucemias agudas representam aproximadamente 30% dos diagnósticos de câncer em menores de 15 anos, sendo considerado o câncer mais comum nessa faixa etária, segundo dados do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC). Já as neoplasias do SNC pertencem ao grupo de tumores sólidos e correspondem a 20% de todos os tumores na infância, de acordo com dados do INCA.

“É fundamental que a criança tenha consultas de rotina com o seu pediatra. Por saber o histórico de desenvolvimento da criança, ele tende a identificar sintomas sutis o mais precocemente possível, permitindo que a criança chegue ao centro de tratamento com a doença menos avançada. Nessa situação, a chance de cura é muito maior", alerta a Dra. Maristella Bergamo, oncologista pediátrica e membro da SOBOPE.

Também é importante que pais e cuidadores conheçam os principais sinais e sintomas, sendo de extrema importância que os profissionais da saúde e os meios de comunicação façam campanhas de conscientização para que o acesso ao material informativo possa ser cada vez mais ampliado.

Os principais sintomas que podem ser observados, são: Palidez, fraqueza e manchas roxas, que podem estar relacionados, por exemplo, à leucemia; caroços e inchaços, relacionados ao linfoma; dor de cabeça constante, náuseas e vômitos, problemas de equilíbrio, visão turva ou dupla, ao câncer do sistema nervoso central.

“Por isso é tão necessário conhecer os principais sinais e sintomas e valorizá-los quando a criança apresentar alguma queixa. Não ignorar os sinais iniciais do câncer, dar atenção às queixas, principalmente as recorrentes, ter acompanhamento médico regular e de rotina, e leva-los a consultas extras, sempre que houver alguma intercorrência”, finaliza a Dra. Maristella Bergamo.

Sobre a SOBOPE

Fundada em 1981, a SOBOPE tem como objetivo disseminar o conhecimento referente ao câncer infanto-juvenil e seu tratamento para todas as regiões do País e uniformizar métodos de diagnóstico e tratamento. Atua no desenvolvimento e divulgação de protocolos terapêuticos e na representação dos oncologistas pediátricos brasileiros junto aos órgãos governamentais.


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos