Foto: Galpão 17, em Brasília, preparado para a Copa. Erivelton Viana

Estreia do Brasil com pequenos negócios aquecidos fora de campo

Bares, restaurantes e o comércio preparados para o aumento das vendas no maior evento de futebol do mundo

Esta quinta-feira (24) começa diferente. Nas escolas, no trabalho, academia e no comércio, o verde e amarelo dominam os espaços fechados e abertos, demonstrando que o amor pelo futebol e a torcida pelo hexacampeonato são unânimes. No Qatar, a Seleção Brasileira deve mostrar o melhor no seu primeiro jogo da Copa do Mundo 2022. Fora do campo, outras estrelas brilham aqui no Brasil: são os donos e funcionários dos pequenos negócios que se prepararam para faturar com o maior mundial de futebol do planeta.

O dia começou diferente também para Camila Aviani, coordenadora do Galpão 17, localizado no Distrito Federal que é conhecido como point dos motociclistas. Além do uniforme personalizado para a equipe, bandeiras do Brasil e muitos adornos trazem o clima da Copa do Mundo para o espaço, que tem estilo underground e deve receber 600 torcedores hoje. “A câmara fria está lotada. Temos mais de 2 mil litros de chopp para receber os clientes”, conta Camila, entusiasmada. Dois novos televisores foram comprados para a Copa e a expectativa 

Ninguém ficou de fora, explica Camila: “acabamos deixando a decoração para os últimos dias, então escalamos metade dos funcionários para nos ajudar e foi interessante porque todos acabaram se envolvendo”. A coordenadora explica que nesse período do ano o faturamento costuma subir devido às festividades de final de ano, que acontecem nos dias de maior movimento, sexta e sábado: “A Copa trouxe a oportunidade de aumentarmos as vendas em diferentes dias da semana, sem prejudicar as tradicionais confraternizações de amigos”.

Um dos motivos desse entusiasmo são os dados da pesquisa feita pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrando que o setor de alimentação é o mais otimista com o aquecimento das vendas nesse momento. Cerca de 35% dos donos de pequenos negócios desse segmento esperam um crescimento do faturamento, impulsionado principalmente pela Copa.

A Black Friday também tem funcionado para impulsionar para as vendas das micro e pequenas empresas do período, já que o ‘Dia D’ acontece nesta sexta-feira (25). Cenário otimista também para as confraternizações de fim de ano, Natal, Ano Novo e as férias de verão. A expectativa, de acordo com associações varejistas, é que o comércio turbine suas vendas entre 15% e 25%, comparado com os últimos dois anos. De acordo com o gerente de relacionamento com o cliente do Sebrae, Enio Pinto, é muito importante engajar o time de colaboradores e de fornecedores para esse período. “Capacitação e motivação para equipe são fundamentais para assegurar o aumento das vendas. Estabeleça políticas de compensação com maiores comissões. Todo mundo pode ganhar, a loja, os vendedores e os clientes”, destaca.


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos