Foto: Albenir Sousa Cerimônia foi marcada por apresentações culturais.

Governador do Amapá empossa gestoras dos Povos Indígenas e da Fundação Marabaixo em evento com a ministra Sônia Guajajara

Simone Karipuna e Josilana Santos foram empossadas e a secretária de Cultura, Clícia di Miceli, foi reapresentada na cerimônia, em Macapá, com a ministra dos Povos Indígenas do Brasil.

O governador do Amapá, Clécio Luís, empossou nesta quarta-feira (25) as novas titulares da Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas (Sepi), Simone Karipuna, e da Fundação Marabaixo, Josilana Santos. A cerimônia, que também reapresentou a secretária da Cultura, Clícia di Miceli, evidenciou a participação feminina no Novo Governo, assim como os povos originários e negros do Amapá.

Tendo como convidada a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, a cerimônia foi marcada por apresentações culturais que compõem a história do estado e representam o Amapá.

A ascensão de mulheres em funções de lideranças e a paridade de gênero na composição da administração pública marcam a gestão de Clécio Luís. As novas gestões assumem as pastas com as missões também de combater o preconceito e buscar a aplicação efetiva das políticas públicas.

“Os símbolos são importantes para a nossa autoafirmação, principalmente diante de episódios trágicos no nosso país. Temos uma relação com negros e indígenas no Amapá, mas precisamos estar sempre como sentinelas, fomentando a equidade e justiça social. Toda a equipe de governo está empenhada em agir de forma integrada, promovendo políticas públicas transversais e abertas ao diálogo franco com a nossa população”, comentou o governador.

Sônia Guajajara disse que, ao assumir no início deste ano o Ministério dos Povos Indígenas, também se comprometeu em dar valor às pessoas invisíveis, buscando dignidade, em qualquer região do país, e defendendo a floresta e os bens promovidos por ela.

“Precisamos valorizar a Amazônia, e as pessoas que estão aqui: povos indígenas, comunidades tradicionais, ribeirinhos, extrativistas. No governo federal, temos a missão de levar dignidade para quem está passando fome e quem vive na pobreza. Vivemos um novo momento da história, com a nossa participação direta. Ver hoje essas mulheres assumindo lugar de destaque é resultado de muita luta e resistência”, afirmou a ministra dos Povos Indígenas.

Posse cultural

A cerimônia reuniu diversas manifestações culturais amapaenses, destacando a tradição. Os hinos Nacional Brasileiro e do Amapá foram entoados ao som de caixa de marabaixo e na voz da cantora Silmara Lobato. O povo Wajãpi demonstrou um canto de fortalecimento para saudar a equipe que assumiu a Sepi.

A programação ainda contou com apresentação de grupos de matrizes africanas, roda de marabaixo com os grupos Ancestrais e Filhos do Criaú, roda de capoeira, além de show da banda Afro Brasil.

Estiveram presentes ainda representantes de povos indígenas do Amapá e Norte do Pará: Wajãpi, Karipuna, Galibi-Marworno, Palikur, Galibi Kal'ina, Tiriyó, Kaxuyana, Txikuyana, Apalai, Wayana e Akuryó.

Novas gestoras

Simone Karipuna assume a Sepi com a missão de proporcionar à instituição maior participação dos povos indígenas que habitam o Amapá. Por isso, a secretaria terá pela primeira vez uma formação colegiada. Os secretários adjuntos representam 4 regiões do Amapá com povos originários, como Wajãpi, Waiana, Galibi Marworno e Galibi Kali’na.

A Fundação Marabaixo elabora e implementa políticas públicas para comunidades quilombolas e afro-amapaenses. Josilana Santos assume como diretora-presidente da instituição, tendo um trabalho voltado para a equidade racial.

Secult

Na reapresentação da titular da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Clícia di Miceli destacou que uma das prioridades será implementar o Sistema Estadual de Cultura do Amapá, como ferramenta que regulamenta e garante direitos culturais.

 

Por: Fabiana Figueiredo


O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos